Veículos Eléctricos - vantagens, desvantagens, e público alvo

João Prates

Moderator
CKL
DEFINIÇÃO

Os acrónimos EV (Electric Vehicle) e BEV (Battery Electric Vehicle) e VE (Veículo Eléctrico) designam as viaturas eléctricas alimentadas por energia proveniente de uma bateria.
Estas viaturas possuem um ou mais grupos propulsores, onde a fonte de energia que os alimenta advém de uma bateria de tracção de alta voltagem.

Tipicamente falamos de viaturas com pelo menos 1 motor eléctrico, bateria de tração, e uma ou duas tomadas de carregamento externo:
  • Tomada para carregamentos AC (corrente alternada disponível nas rede eléctrica nacional);
  • Tomada para carregamentos DC (corrente contínua, disponível nos Postos de Carregamento Rápido, aka PCR).
A tomada AC pode ter um de dois formatos standard:
  • Formato Type 1, aka J1772 (primeiro a surgir, hoje quase sem uso na Europa);
  • Formato Type 2, aka Mennekes (standard de facto em utilização nos novos modelos Europeus com muito raras e "inexplicáveis" exceções).
A tomada DC para utilização nos PCRs pode ter um de dois formatos standard:
  • Formato CHA-de-MO, suportado maioritáriamente pelos fabricantes Japoneses;
  • Formato CCS-Combo, suportado maioritáriamente pelos fabricantes Europeus e restantes fabricantes (standard de facto na Europa, que extende o formato da tomada Type 2).

VANTAGENS

A principal vantagem do veículo eléctrica prende-se com a redução de custos, tanto no consumo de energia como regra geral nos custos de manutenção.
Quem utiliza o veículo num regime diário previsível em que a autonomia EV cubra substancialmente (ou totalmente) o trajecto, conseguem poupanças assinaláveis de combustível.

No caso da autonomia disponível do veículo não cobrir a distância total, o utilizador terá de recarregar o veículo a meio da viagem.
Ainda que os custos de carregamento público sejam elevados, eles são regra geral calculados pelo fornecedor para continuar a ser ainda assim inferiores ao custo de combustível fóssil.

Em sede fiscal a viatura eléctrica tem enormes benefícios para empresas, desde a dedução de IVA à isenção de taxa de tributação autónoma.
Por favor consulte o seu contabilista/fiscalista para informação actual detalhada sobre os benefícios fiscais para empresas (particulares não beneficiam de qualquer dedução fiscal.

Finalmente porque o conforto e prazer de condução também contam, os veículos eléctricos têm como grande vantagem a simplicidade de condução, a resposta imediata ao acelerador, o maior conforto por ausência de ruídos e vibrações do motor de combustão, sem cheiros a combustível, enfim proporcionam uma verdadeira e refrescante experiência de contacto com a estrada e o meio circundante.

Nada bate a experiência de conduzir um EV em modo zen pelo campo ou junto ao mar de vidros abertos num dia primaveril!


DESVANTAGENS

No que respeita a custo de aquisição um EV regra geral fica mais caro que um equivalente PHV ou a combustão.
Esta diferença só é compensada com o passar do tempo em custos de operação mais reduzidos, mas de facto o investimento inicial é superior.

No campo da durabilidade e fiabilidade dos componentes, a bateria de tração de um modelo EV é tipicamente o calcanhar de aquiles deste tipo de viatura.
Tenha muita atenção a pormenores como percentagem de bateria útil vs. capacidade total (quanto maior a percentagem de capacidade útil pior), e a existência de sistema de refrigeração da mesma.

Igualmente importante é saber que garantia de fábrica tem a bateria, e exigir da marca informação sobre o método de medição de capacidade útil para efeitos de garantia.
Inexplicavelmente algumas marcas fogem à questão; exija sempre um teste à bateria a cada revisão, com a indicação clara da percentagem de SoH (estado de saúde da bateria).

Deixamos para o fim o trio das desvantagens mais impactantes nos EVs para quem está habituado a veículos a combustão ou a PHVs:
  • Autonomia do veículo
  • Tempo de carregamento
  • Disponibilidade de postos de carregamento (funcionais e desocupados)
Na autonomia já começam a surgir viaturas com alcances razoáveis, na casa dos 300 km ou mais consoante o tipo de condução, mas os seus preços ainda algo elevados.

Infelizmente alguns fabricantes insistem também em continuar com carregadores on-board monofásicos de 7,4 kW, o que para baterias com mais de 50 kWh significa sempre mais de 7 horas de carregamento (14 horas (!) se utilizar uma tomada doméstica normal) e uma disponibilidade de potência elevada na instalação eléctrica. Na prática um EV com boa autonomia obriga a períodos de tempo demasiado longos num carregamento doméstico.

Quanto à disponibilidade de postos de carregamento públicos, infelizmente o panorama em Portugal é lastimável, para não dizer pior.
É difícil encontrar um posto de carregamento funcional, os poucos que existem estão normalmente ocupados, e os custos de carregamento são elevados.


PÚBLICO ALVO

Os Veículos Eléctricos são a melhor solução para quem tem facilidade em fazer carregamentos prévios às suas deslocações, e consegue realizar a maior parte dos trajectos sem necessidade de paragem(ns) a meio para recarregar.

Se tem onde carregar com facilidade, realiza percursos dentro da autonomia do veículo, tem tempo de carga suficiente para recuperar a autonomia gasta entre deslocações, e tem disponibilidade financeira para suportar o investimento inicial (ou prestação em financiamento), o VE é o carro ideal para si.

Estas vantagens são ainda reforçadas se estivermos a falar de compra para frota de empresa.
Nesse caso concordamos com a UVE quando questiona se não comprar um VE não poderá ser considerado gestão danosa!



A EVITAR

Se não tem como/onde carregar o EV por meios próprios, opte antes por um híbrido, que terá tendencialmente preço mais baixo, e consumo inferior face a um veículo convencional.
Mesmo dispondo de uma tomada ou instalação eléctrica para carregar, valide sempre quais as condições de utilização da instalação vs a utilização que pretende dar ao veículo.

Por exemplo temos encontrado clientes com tomadas de 16A, até 10A disponíveis apenas, sem hipótese de aumento de potência, a pretender recuperar 200 km de autonomia em 7 horas.
Isto não é fisicamente possível; quanto menos corrente disponível, mais lento o carregamento, e o veículo pode não conseguir recuperar a autonomia pretendida no tempo pretendido!

Avalie bem as condições que tem, e que melhoramentos pode eventualmente efectuar (caso seja necessário) na instalação eléctrica, antes de se comprometer com a compra de um EV.
 
Última edição:
Top Inferior