Uma vergonha chamada Tranquilidade - quem tem PHVs ou EVs é melhor fugir a sete pés

João Prates

Archie Bunker
Conforme narrei neste post, o meu Dare Devil teve a infelicidade de sofrer um acidente no passado dia 24 de Janeiro, era sexta-feira à noite.

Pouco depois do acidente ocorrer por sorte ia a passar uma viatura da PSP que encostou para auxiliar os condutores, e sem stress a própria PSP ajudou a preencher a declaração amigável (DA).
Pelo descrito e documentado na DA, era por demais evidente de quem era a responsabilidade, batida por trás, com condutor a mudar de faixa, o meu carro na faixa dele... open and shut case.

Na 2ª feira participei o sinistro tanto à minha companhia (Tranquilidade) como à companhia do outro veículo (Seguro Direto - grupo AGEAS), pedindo viatura de substituição.
Logo na 3ª feira, menos de 24h depois da participação, a Seguro Direto confirma a recepção da queixa e informa ter já assumido a responsabilidade e comunicado essa aceitação à Tranquilidade. Dizem para eu coordenar tudo com a minha companhia, que era um caso IDS, a Tranquilidade logo lhes enviava a conta no final, por eles estava tudo OK.

A primeira má surpresa chega quando ao perguntar à Tranquilidade porque motivo não tinham ainda reservado viatura de substituição, fico a saber que não tenho direito!
Eu tinha a certeza absoluta que tinha dito a quem me tratou do seguro que queria viatura de substituição como cláusula da apólice, portanto fiquei a ferver, e fui à procura do contrato.

Relendo por alto as cláusulas do contrato estava lá de facto a viatura de substituição, mas... pormenor maquiavélico, só no caso de avaria, roubo, etc, tudo menos sinistro!
Mas que raio de sentido faz isto!?!? Uma pessoa compra carro novo, um Toyota ainda por cima, com fiabilidade incrível, e a Caetano Auto mete-me viatura de substituição em caso de avaria!?!?

Podem imaginar os nomes "bonitos" que me passaram pela cabeça, e o quanto reclamei ao telefone com a MDS Auto Toyota, é de uma incompetência e falta de profissionalismo tremendo.
No mínimo dos mínimos quando disse que queria viatura de substituição deviam ter explicado que havia várias opções, e perguntado qual era a que eu pretendia, coisa que não fizeram.
Estava por isso sem carro, e não ia ter carro de substituição até ser dada ordem de reparação do Dare Devil. Bonito!

Por insistência minha, foi marcada peritagem ao Dare Devil para 4ª feira. Nesse dia de tarde a oficina confirmou-me ter sido feita de manhã, mas... surpresa... ficou condicional...!!!
Ficou condicional porque até 5ª feira, a Tranquilidade dizia não ter ainda validado a responsabilidade do acidente (!?!?), quando eu sabia que a Seguro Direto o tinha assumido logo na 3ª feira.

Só na 5ª feira confirmam a aceitação da responsabilidade pela Seguro Direto, mas... ainda não podem dar ordem de reparação... o processo ainda está "em análise"... e dali não passavam!
Como devem imaginar, o meu stock de paciência estava mais que esgotado. Um acidente em que não responsabilidade, e continuo sem carro e sem sequer ser dada ordem de reparação.
Um pesadelo.

Devo dizer que durante a semana foram feitas inúmeras chamadas telefónicas, perdi imenso tempo, uma das chamadas levou 50 minutos (!) entre atendimento e de espera, por exemplo.
As pessoas do call center da Tranquilidade não têm poder nenhum, não sabem explicar nada, não conseguem falar com ninguém, apenas lêem a info que têm em sistema e nada mais.
Um suplício!

1 semana após o sinistro, na passada 6ª feira, finalmente passaram a peritagem a definitiva, e foi disponibilizada uma viatura... ICE, ou quando muito um HSD cedido pela oficina.
Referi que o Dare Devil era um PHV, que no dia a dia não gastava gasolina nenhuma, e que não podia ser prejudicado ficando com um ICE, ou me davam um PHV ou um EV, ICE nunca.

Para minha surpresa, e depois de mais uma carrada de telefonemas, emails de confirmação, e muita paciência esgotada, a conclusão num primeiro momento foi:
1) A Tranquilidade não prevê viaturas de substituição PHV ou EV para donos deste tipo de viaturas sinistradas;
2) A Tranquilidade não aceita pagar despesas de combustível com viaturas de substituição.

Obviamente não aceitei estas respostas, e dei como exemplo a OK Teleseguro que já por 2 vezes me aluga BMW i3 na Europcar quando activo a cobertura de viatura de substituição.
Resposta da Tranquilidade: "Não podemos comentar o que as outras companhias fazem, nós não suportamos aluguer de viaturas eléctricas."
Patético.

Depois de mais umas quantas chamadas telefónicas fiquei a saber que o que se passa é que a Tranquilidade não tem previsto nos acordos/contratos com as rent-a-car viaturas eléctricas!!!
Por isso não as cedem, em pleno século XXI, em 2020, a Tranquilidade não prevê a assistência a viaturas PHV ou EV, e acha que os donos deste tipo de viaturas se tem calar e "comer" com ICEs!!!

Como já fazia uma semana que estava sem carro, como a oficina tinha HSD disponível para entrega, consegui após muita insistência convencer a gestora de sinistro a aceitar pagar o combustível.
Assim com muita chatice, muito arreliar e zangas telefónicas, acabei por trazer um Corolla híbrido para casa, com a garantia que a Tranquilidade excepcionalmente paga as facturas de gasolina com a matrícula do carro descriminada. E na perspectiva deles estão-me a fazer um favor excepcional!

Só vos digo, foi um INFERNO esta semana, o atendimento da Tranquilidade foi sempre miserável, exceptuando a última pessoa que me atendeu, e que realmente percebeu o ridículo da situação e o quanto estava a ser prejudicado, fez questão de falar com a gestora do sinistro para a fazer ver o problema. O meu obrigado à profissional Sonia Pereira do call center Tranquilidade, foi a única que se portou à altura.

É certo e sabido, quando terminar a anuidade do seguro salto imediatamente para a OK Teleseguro que até agora tem-me tratado sempre bem, sem estes problemas, sem stress algum.
Ficar 1 semana inteira sem carro, e a ter de passar 1 hora por dia ao telefone com a Tranquilidade, a minha própria companhia, para se mexerem e fazerem afinal aquilo para que lhes pago...

Uma semana sem carro, e sem ter tido culpa nenhuma do acidente!
TRANQUILIDADE NUNCA MAIS!


Se têm seguro na Tranquilidade, cuidado com a cláusula de viatura de substituição, têm de ter a opção VIP PLUS de assistência em viagem (VIP não chega) para ter carro em caso de acidente, e se o vosso carro é um PHV ou EV podem esquecer receber de substituição um PHV ou EVs, não vos alugam!

Tranquilidade só mesmo de nome, seria mais realista meter um "IN" como prefixo.
 
Última edição:

Filipe Lopes

New member
Viva caro amigo João
Como o compreendo.
Tive uma situação muito semelhante à sua.
Basicamente a mesma palhaçada com a Caetano Power. O meu Leaf tinha de tratar simplesmente dum arranjo de chapa, e não podia ser em Almada, onde vivo. Fiquei a saber que EV's seja qual for a situação só podia ser na Caetano de Queluz/Sintra....mesmo um bocadinho de chapa que fosse!!! Incrível.
Tb tinha direito a veiculo substituição mas só em avaria, não sinistro, que não sabia. O processo de atribuição do veículo de cortesia foi igualmente um pesadelo e não havia nem EV para colmatar o meu Leaf nem PHEV. Depois de um dia perdido na Caetano e nos diálogos com Tranquilidade por telefone, já estávamos num processo tal que já falavamos a três, eu a seguradora e a Caetano em alta voz. Passei o dia útil inteiro lá .....surreal.
No fim atribuíram-me um puro Híbrido 😒
Foi um verdadeiro pesadelo e perdi um dia de trabalho fora os dias antes e as discussões pela falta de info na viatura de substituição, exclusiva a avarias (logo num Leaf, claro)!!!
Conclusão, Tranquilidade nunca mais, já estou na OK Teleseguro que tem um seguro específico para EV's (mais barato) e com o desconto de associado UVE fiquei com um seguro €200 mais barato que o anterior com as mesmas condições e um extra - seleccionei a opção Privação de Uso c/pagamento de €75/dia para situações de Sinistros e Danos Próprios inclusivé....e isto sendo o seguro €200 mais barato, senão era €275 menos. Saudações elétricas ⚡ 🌿 😉
(Filipe Lopes - Almada - Leaf 30 Tekna 2016 / Leaf 24 Acenta 2013).
 
Última edição:
Que chatices! ( já vi as fotografias dos estragos).

Isto das companhias de seguros... e se tivermos um carro com 10 anos sem sinistros, pagamos muito menos por isso?? Ah e coisa e tal, os riscos... pois, pois, histórico de 10 anos sem embates, zero despesas, olhe lá, este chaço à 10 anos atrás custou 20M€ e pagou a primeira anuidade de seguro 190€, agora o vendedor do stand diz-me que o chaço talvez dê 2mil € (ou abate), mas o seguro continua nos 180€, como é, se tiver perda total dá-me um cheque de 20M€?

Claro que o caso da Tranquilidade e o exemplo que tem da OK Teleseguros são bem esclarecedores de quanto o cliente perde e ganha (no caso da OK), mas também neste exemplo, a juntar a outros que conheço, com seguros, só se ganha com "habilidades"... neste caso a Tranquilidade é que está com habilidades para proveito próprio ( e como relatado, os stands por vezes também fazem e contribuem com habilidades, devem ser parte interessada, talvez...)
 

Paulo Lapa

Well-known member
Tem atenção sempre as letras pequeninhas Prates, as vezes somos iludidos em conversas da treta e dá nisso.
Para teu consolo a mossa no 3G demorou um mês para resolver, mas 3 dias para reparação.
Abraço,
PL
 

João Prates

Archie Bunker
1) O ponto principal para mim não é não ter tido direito a carro de substituição.

Evidentemente que em última análise a culpa é de quem assina, e eu assinei a proposta de seguro.
Mas em minha defesa pergunto: Quando se tem um agente/mediador de seguro a fazer-nos o seguro, qual é a função dele?

Quando fiz o seguro pedi para incluírem viatura de substituição, vi a cláusula que me disseram dar a viatura no contrato, fiz fé.
Fui burro? Sim, em última análise sim, confiei em alguém que era suposto existir para me defender/ajudar.

Se fossemos a ler tudo o que vem no contrato, cláusulas gerais mais condições particulares, eram umas boas horas de análise só para o efeito.
Pensei que fosse para isso que o mediador servisse, enfim, fui ingénuo.

2) O ponto principal é ter estado 1 semana à espera da ordem de reparação da minha companhia quando a companhia responsável aceitou a culpa em menos de 24h!

3) A cereja no topo do bolo é não terem viaturas plug-in nem eléctricas, e ainda quererem recusar pagar o combustível que só tenho de gastar por culpa da companhia.
 
Última edição:
Caros amigos,

Sempre que somos vitimas de um acidente, todos os prejuízos são da responsabilidade do culpado. Sendo o outro veiculo culpado, é indiferente se temos seguro contra todos os riscos ou um seguro básico. É indiferente se temos cobertura com opção de veiculo de substituição ou não.

Só se somos o culpado é que teremos direito ou não à cobertura dos danos no nosso veiculo, conforme tenhamos seguros contra todos os riscos ou só contra terceiros e de acordo com as condições da nossa apólice.

No caso concreto relatado, a companhia de seguros do culpado (Seguro Direto) é quem tem a responsabilidade de pagar todos os prejuízos causados. Acontece que pelo acordo entre companhias designado pelo IDS, compete á companhia do João Prates (Tranquilidade) pagar tudo a que tem direito, ressarcindo-se posteriormente na companhia do culpado (Seguro Direto)

Sendo assim, então porque a nossa companhia não nos presta um serviço justo? A razão é simples. Os sinistros ao abrigo do IDS o reembolso da companhia do culpado à companhia do lesado e sem culpa, não é feita pelo valor real mas apenas tendo por base uma média dos custos de todos os sinistros em IDS ocorridos durante o ano.

Exemplificando:

Se a média total de sinistros em IDS der um prejuízo medio de 2000 euros, significa que se formos os lesados de um sinistro de 1500 euros de prejuízo, a nossa companhia recebe 2000 euros ficando a beneficiar 500 euros. Se o prejuízo for de 2500 euros a nossa companhia fica com um prejuízo de 500 euros pois só recebe 1500 euros.

Este mecanismo de compensação IDS resulta de acordo entre companhias.

Por tudo isto, a nossa companhia, quando somos os lesados, se os danos forem bem abaixo da media do IDS, trata-nos com alguma deferência. Se o prejuízo ultrapassa a media do IDS, a companhia de seguros trata-nos de acordo com a idoneidade da companhia.

Nestes casos reclamar à ASF pode ajudar e muito. Com uma filha minha foi fundamental. Aquilo que a companhia da lesada não queria assumir num sinistro IDS, após contacto da ASF ás duas companhias, a companhia do culpado assumiu imediata mediação com a outra companhia e de imediato assumiu que caso não chegássemos a acordo pagariam. E foi o que acabaram por ter de fazer. Foi a companhia do culpado que pagou e não a companhia da lesada conforme está convencionado em IDS. Obviamente que ganharam um… dois… três clientes.

Assim, neste caso do João Prates, tem direito a viatura e nada tem a ver com as condições do seu seguro, que paga “apenas e só” quando o João Prates for o culpado. Os acordos entre companhias, só a eles diz respeito.

Nota importante: Como a Seguro Direto assumiu a responsabilidade, o seguro contra todos os riscos do João Prates não foi accionado.

Cumprimentos

AC
 
Última edição:

João Prates

Archie Bunker
Muito obrigado pela explicação, agora percebo melhor... com mais de 4k de arranjo andaram à pesca a ver o que podiam fazer...

Sucede no entanto que a viatura de substituição ao abrigo do IDS só pode ser cedida uma vez "fechado" o processo, e isso só sucede quando há ordem de reparação.

Isso foi a parte mais estúpida de todas. Quem empatou tudo e me impediu de receber carro mais cedo foi a minha própria companhia!

Isto nem parece real, mas foi, e garanto que ninguém da minha família volta a fazer seja que seguro for com aquela gente.
 
-Uma companhia idónea, teria dado ordem imediata para reparar o veiculo. (Caso não fosse assumida a culpa por parte da Seguro Direto, estavam salvaguardados pelo seu seguro contra todos os riscos, e, aí sim, limitados pelas condições da própria apólice. Neste caso , não teria carro de substituição por não estar previsto na apólice.)
- Após a companhia do culpado assumir a responsabilidade, ficava inegável o direito a veiculo de substituição similar ao do lesado.

Acontece que nos dias de hoje, idoneidade está pelo preço da morte.

AC
 
Última edição:

Carlos Costa

Moderator
Já tive seguro em várias companhias, incluindo Tranquilidade, mas depois de ter estado 3h à espera de um reboque, por motivo de acidente, a 5 km de Braga, debaixo de um sol abrasador, decidi que nada poderia justificar o preço mais elevado do serviço. Comecei a contratar seguros online, desde OK Teleseguros, N seguros, Seguro Directo, Logo, já corri tudo. Já por duas ou três vezes precisei de apoio, devido a sinistros, sempre sem culpa, e correu tudo 5 estrelas.

Esta cena que aconteceu com o Prates é surreal, mas só nos faz relembrar o mau serviço que é prestado ao cliente, que paga prémios VIP e depois recebe este tipo de tratamento.
 

João Prates

Archie Bunker
muito semelhante ao meu caso que retratei atentadamente no meu diário de bordo...

Muito verdade, a PDI já me impediu de recordar o teu caso de Novembro, mas agora que o reli, é em tudo igual.

Acho sinceramente que isto merece um "grito" de revolta perante a Caetano Auto, e perante a MDS, porque efectivamente os clientes estão a ser enganados.
Ficava-lhes bem contactar com TODOS sem excepção, e validar se pretendem adicionar a modalidade VIP Plus explicando que apenas essa suporta acidentes.

À parte desse pormenor, e na minha opinião pessoal, o comportamento da Tranquilidade e a falta de BEV ou PHV de substituição é mais que suficiente para saltar de lá para fora.
Com ou sem Assistência em Viagem VIP Plus, não se admite entregar ICEs ou HSDs a quem possui BEVs ou PHVs.

Mal comparado é como oferecer uma refeição de bife tártaro a um vegan esfomeado.
É indecente.
 

Bruno R. Almeida

Wellness Coach
Em altura de renovação de seguro para o Rei Zoom, ais um fator a ter em conta!
 

João Prates

Archie Bunker
eu não tenho tido tempo para tratar disso, e também é minha intenção deixar passar uns meses, mas conto em breve mudar de seguradora e cortar o mal pela raiz.
Tem em atenção que pelo que me explicaram, a lei actual só permite mudar de seguradora na renovação do contrato.
Portanto vê quando é que chega esse mês para te meteres em campo, porque se cais na asneira de pagar a renovação... tens de aguentar outro ano à espera para mudar!
 

João Prates

Archie Bunker
Ele há com cada um... olhem só o que este indivíduo (Jorge Vieira) foi postar a propósito deste tópico num grupo do FB:

1580841095963.png

Alguém me explica o que é que o carro que a companhia do responsável do acidente tem de disponibilizar tem a ver com o que tenho contratado na minha apólice?
Se o acidente não é da minha responsabilidade, o que é que a minha apólice tem a ver?

Uma coisa é num primeiro momento antes de se apurar a responsabilidade eu querer ter um carro, e a minha apólice [in]Tranquilidade não suportar por não ter assistência VIP Plus.
Outra coisa é quando a peritagem passa a definitiva e a outra companhia me cede um carro, ter de gramar com um ICE.

O que sei é que não sendo eu responsável pelo acidente, não devia ser prejudicado em rigorosamente nada.
Se eu tenho de passar a gastar gasolina durante quase um mês, que não gastava na minha viatura, não estou eu a ser prejudicado?

No mesmo acidente se eu fosse da OK Teleseguros mesmo com seguro contra terceiros andava agora num BEV BMW i3, alugado pela OK Teleseguro e pago pela Seguro Directo!
Tenho apólice contra danos próprios na [in]Tranquilidade, e ando com um HSD a gastar gasolina, porque o IDS atribui à minha companhia a responsabilidade da cedência de viatura!

O algodão não engana!
[In]Tranquilidade nunca mais!
 
Última edição:

Pedro Oliveira

Active member
Agora nos seguros também existe uma cobertura chamada Privação de Uso em que a companhia Garante o pagamento com um valor diario, durante a paralização devido á reparação da viatura, no meu caso tem um valor diário de 60€ dia, com um período máximo de 30 dias,nunca cheguei a usar, no entanto também será uma forma de diminuir os prejuízos.

Claro se tudo isto funcionar desta forma.

Sempre era uma ajuda no seu caso @João Prates .
 

João Prates

Archie Bunker
Como no meu caso a responsabilidade não é minha, pouco importa as condições que tenho ou não tenho, volto a repetir, isso não vem ao caso.
O que a lei diz é que eu não posso ser prejudicado pelo acidente, e portanto a outra companhia tem de fazer de tudo para a minha vida continuar como se não tivesse ocorrido o sinistro.
Sendo IDS, a minha companhia tem de tomar o lugar da outra, e resolver-me todas as questões, cede viatura, etc, como se fosse a responsável.

O que eu normalmente faço de facto é activar num primeiro momento o meu seguro de danos próprios, para não ficar à espera de carro aqueles dias iniciais até o processo passar a definitivo, e quando passa a definitivo já estou servido e simplesmente a activação do meu seguro é anulada, e os custos imputados à companhia do responsável.

Já fiz isto várias vezes com a OK Teleseguro nos acidentes que infelizmente já sofri ao longo do tempo, sempre de forma transparente e sem qualquer problema.
Na [IN]Tranquilidade foi o que foi.
 

Bruno R. Almeida

Wellness Coach
Bom dia!

Após este vossos relatos, acabo de mudar a minha companhia de seguros para um on-line.
Valor idêntico ao pago o ano passado, mas com mais cobertura e plafond maiores.
 
Top Inferior