Teste-drive Captur Plug-In

Miguel Castro

New member
Boa tarde,
tenho andado a investigar outros modelos "Plug-In's" de outras marcas, na esperança de encontrar um que me convença, uma vez que o Prius PHEV está difícil de alcançar para mim, pelo preço. Talvez daqui a 4 anos apareça algum que alguma empresa troque, mas se eles não o utilizavam bem, estou lixado...

Mas vamos ao Renault Captur Plug-in.
Primeiro comentário que me deixou fulo (embora não tenha explodido com o vendedor): o carro não estava carregado, embora tenha enviado mensagem antes a confirmar se estava tudo pronto! Tinha autonomia para 1 km!
Conclusão, vim o trajeto até à minha garagem com o motor 1.6 (com 140Cv) a tentar carregar a bateria, logo uns belos 9,7l/100km!
WhatsApp Image 2020-11-30 at 18.09.28 (1).jpeg

Depois, o vendedor disse-me que em cidade devemos utilizar sempre o modo B, ou seja, o carro não desliza e assim que tiramos o pé do acelerador, começa a travar com o motor e a regenerar a bateria... Se dermos aceleração ele fica normal. Em modo D desliza melhor, mas não tanto como um híbrido da Toyota. Não gostei.

Outra crítica, o som que os piscas-piscas fazem quando pretendemos sinalizar a nossa mudança de direção é incomodativo. Eu uso pisca para tudo, até para entrar e sair das rotundas. Agora percebo porque alguns fulanos não usam o pisca... Bem sei que o cérebro tem a capacidade de se ir adaptando mas valha-me Deus, vir a ouvir uma música calma (escolhi um piano de fundo) e ter de ouvir o barulho dos piscas...

Aspecto positivo, o infotatment e as informações gráficas coloridas, quer do ecrã da consola central quer do painel por trás do volante, ambos digitais. Já espelha o Apple Car Play e foi bastante intuitivo.


WhatsApp Image 2020-11-30 at 18.09.28 (14).jpeg
WhatsApp Image 2020-11-30 at 18.09.28.jpeg

Existem 3 modos de condução:
Pure (modo eléctrico, se houver bateria carregada)
My Sense (modo em que nós podemos gerir)
Power (modo em que o motor de combustão está sempre presente... nem testei, achei horrível o conceito, mas agora arrependo-me para ver como o menino se mexia)

Na minha garagem pusemos o carro a carregar durante 30 minutos e deu-lhe uma autonomia para 20 kms. Aproveitámos para conversar e beber um cafezinho e o comercial disse uma série de coisas que no mínimo são... discutíveis. Várias vezes disse que o Captur não é um carro familiar (wtf?), que para 4 pessoas não tem espaço suficiente. É como ter um Clio um bocadinho mais alto e com uma mala ligeiramente maior. A carrinha Megane Plug-in é que vai ser boa para uma família viajar com as suas bagagens (ainda ontem lia as opiniões do Prates sobre a bagageira Tetris do PHEV :) Que só compraria um ZOE se ele custasse 25000€ e tivesse uma autonomia de 650km. Que aquela notícia do início da semana passada vai deixar as marcas sem saber o que fazer, ou seja, se os Plug-In perderem o apoio financeiro para as empresas vão deixar de comprar híbridos. Que para conduzir um carro deste género as pessoas é que comandam o carro e não tem de adaptar o modo de condução. Que a formação que teve sobre este carro, foi online, enquanto estava no stand a atender clientes (fiquei boquiaberto), mas que já tinha reportado superiormente.

Tentei acabar com o café depressa porque já não conseguia ouvir tanta vontade de não vender.

Mais algumas fotos tiradas durante o carregamento:

WhatsApp Image 2020-11-30 at 18.09.28 (2).jpeg

WhatsApp Image 2020-11-30 at 18.09.28 (3).jpeg
WhatsApp Image 2020-11-30 at 18.09.28 (4).jpeg

WhatsApp Image 2020-11-30 at 18.09.28 (7).jpeg
WhatsApp Image 2020-11-30 at 18.09.28 (8).jpeg

WhatsApp Image 2020-11-30 at 18.09.28 (11).jpeg

Nem sequer tiveram o cuidado de limpar a viatura, que desconsideração pelo cliente.

A segunda parte da viagem já foi mais agradável.
Com 20 kms de autonomia, lá seguimos no modo Pure, realizando alguns dos meus trajetos típicos e consegui voltar a Loures com a autonomia como me tinham entregue... para 1km!
De referir que enquanto estive em casa, carreguei o carro durante 30 minutos numa altura que os painéis solares estavam a produzir 100% da energia a ser usada, ou seja, zero euros!

Falemos agora de valores:
PVP 32.362€

O valor de um Prius PHEV usado é de 34.000€, aproximadamente.

Veredicto final: Preferia comprar o Prius
 

Anexos

  • WhatsApp Image 2020-11-30 at 18.09.28 (10).jpeg
    WhatsApp Image 2020-11-30 at 18.09.28 (10).jpeg
    122,3 KB · Visualizações: 17

Luis Neves

Moderator
Parece-me uma proposta potencialmente interessante, compacto e espaçoso. A mala perde alguma coisa para a versão convencional? O contacto parece que foi curto, pelo que alguns dados importantes, como a autonomia elétrica e os consumos pós-bateria não estão apurados - se há coisa que não diz nada é o consumo WLTP.

Esse consumo em modo "charge" parece-me ao nível de um BMW225xe que testei em tempos, e muito acima do que o Prius consegue (5 a 6 litros).

Tendo em conta as referências ao PHV, chamo a atenção para o meu ex-PHV, cujo DB está aqui, e que se encontra à venda pelo stand que o retomou por apenas 22.500€ - uma pechincha.
 

Telmo Salgado

Moderator
Obrigado pela partilha, Miguel!

Acho que os vendedores foram honestos em dizer que o Captur é limitado, eu entendo-o como um segmento B SUV.
Por outro lado, virem com a conversa do B é coisa bizarra, aposto que no manual Renault deve vir escrito que se trata de seleção de montanha.
E que tal o motor 1.6? Até hoje continuo na dúvida se é um Otto ou um Atkinson. Notas as mudanças nessa caixa de 4 velocidades (o verdadeiro puzzle!)?
 

Luis Neves

Moderator
A Renault parece ter feito uma aposta tardia, mas fê-la, nos híbridos. Este plug-in poderá tirar partido disso, não é apenas a adição de uma bateria a uma qualquer motorização turbinada já existente.
 
Top Inferior