Hidrogénio - Viabilidade como combustível (inclui Green Flamingo)

Telmo Salgado

Moderator
Passivo e desconfiado, a ver pela quantidade de especialistas que lançaram pedras para esse telhado. O intelecto nem sempre responde à novidade da mesma forma, e por isso estamos neste cantinho sossegados e mansos.
 

João Prates

Archie Bunker
O objetivo do projeto será impulsionar a tecnologia e o uso do hidrogénio renovável, reduzindo o seu custo para cerca de 3 euros por kg. Ao todo serão três anos dedicados à pesquisa, desenvolvimento e construção do eletrolisador, e dois anos adicionais de operação para demonstrar e validar a tecnologia.
Já tinha visto o Ministro na TV a chamar à atenção que tínhamos de ter muito tacto na relação com Espanha porque tanto podiam ser óptimos parceiros como terríveis concorrentes.

Era sabido que o potencial deles, especialmente no solar, ultrapassa-nos em larga escala.
Perdem no porto de águas profundas que aparentemente não têm, mas isso se calhar constroi-se (digo eu), já área útil livre com sol é algo que não se consegue construir.

Ontem partilhei com alguns daqui via Signal esta "piada" ou triste fado dos tugas:

Portugueses a 19/Dez/2020: "Olha ó car...! Agora não posso celebrar o Natal com os meus primos?! Não posso o car...! "
Portugueses a 19/Jan/2021: "Filhos da p...! Sabiam disto e não fecharam tudo antes do Natal! Filhos da p...! Fechem mas é as escolas. Fechem tudo!"
Portugueses a 21/Jan/2021: "Filhos da p...! Fecharam as escolas e agora não tenho onde deixar os miúdos. Não posso ir trabalhar. Filhos da p...!"
Romanos, séc. III a.C.: "Há, na parte mais ocidental da Ibéria, um povo muito estranho: não se governa nem se deixa governar!

O contexto era a COVID-19, mas apliquem ao que quiserem: saúde, renováveis, postos de carga de BEVs, exploração de lítio, H2 verde... a atitude é sempre a mesma.
Criticar criticar criticar, apontar o dedo aos pontos fracos, procurar "culpados", denegrir ao máximo e matar ideias. :cry:
E que tal sugestões de melhoria, realce das vantagens, reconhecer mérito aos criativos, engenheiros e cientistas, e valorizarmos as ideias que nos são oferecidas??? Ehm???... 💡
 

Telmo Salgado

Moderator
Na passada 5ªfeira a Sic notícias reservou 30minutos para uma peça relativa ao hidrogénio verde:

Hidrogénio Verde, o desafio

Nesta entrevista surgem muitas caras conhecidas, e imensos dados, alguns contraditórios.
O que me faz alguma confusão foi ver o Eng.Mira Amaral a falar sobre Marrocos e a sua "preparação para exportar energia a carvão para Portugal", quando se ventilou o fecho das centrais para 2021 a 2023. Quando se sabe que uma central pode demorar 3 ou mais anos a passar do papel à prática… fica muito bizarro para não dizer intelectualmente desonesto atribuir uma relação entre os dois factos: Marrocos tem novas centrais em carvão que entraram em funcionamento em 2018!


(é só arrastar a linha temporal para 2018)

Nesta rápida visualização da peça da SIC o Eng.Clemente Nunes também ajudou a elucidar-nos: a construção de novas unidades de produção de energia a carvão na China e India. Outro facto que desconhecia, mas que facilmente se encontra explicação na facilidade em explorar os seus recursos locais em carvão, uma questão geostratégica que em nada deve demonstrar ser comparável à europeia.
Mas convém recordar que algumas outras centrais nestes países também encerram, é um processo de renovação!

Pelo meio encontramos os responsáveis governamentais igualmente a tropeçar nas suas próprias certezas e alguma visão sobre o que se faz já hoje em Portugal. Podiam ter focado todos os 7 vetores do H2 como a União Europeia dividiu, vimos nesta peça os transportes, e a combustão (via H2 no gás natural).
Acho um resumo muito interessante, e que deve ser entendido como aclarador das nossas dúvidas, mesmo que lance outras.
 
Última edição:

Telmo Salgado

Moderator
Esse preço do H2 é muito aliciante, e destrona integralmente as utilizações fósseis, como lhe compete e é objetivo.
Mas o preço final ao consumidor que referes (transportes) vai depender também do nível de pressão ao qual será dispensado.
Recordo que os postos de abastecimento a 700bar possuem requisitos e equipamentos cuja amortização depende do volume de vendas.
 

João Prates

Archie Bunker
Mantenho a minha ideia que a ideia principal, o foco da utilização do H2 verde não é a indústria dos transportes (pelo menos não os ligeiros) mas antes a indústria pesada.

São os grandes consumidores que hoje que não têm alternativas ao gás e ao fuel que precisam de uma alternativa, os automóveis já têm alternativas com fartura.

Já se falarmos de transporte pesado, ferrovia ou aviação a conversa é outra.
 

Telmo Salgado

Moderator
Hoje e dia 25 fevereiro realizam-se duas sessões da Climate Action, sobre o Hidrogénio:


Um dos oradores é responsável na IRENA (International Renewable Energy Agency) e refere uma perspetiva incontornável do uso do H2 como vetor de energia nas aplicações onde a eletrificação não chega.
 

Telmo Salgado

Moderator
Depois de termos ouvido falar que o H2Sines está pulverizado em pequenos investimentos "individuais", e que corre o risco de ter pouco apoio da UE dada a resultante irrelevância em termos de dimensão, junto um pequeno vídeo de uma "colega" engenheira youtuber com questões muito válidas relativamente à Economia do Hidrogénio:


Fala em 4 problemas/questões que interferem, e muito, no sucesso ambiental e racional do H2 dependendo das aplicações e produção. Vale a pena!!
 
Última edição:

Telmo Salgado

Moderator
Estará ali no mix só para representar a parte da acumulação, e dos correspondentes investimentos para captar as intermitências, talvez?
 
Última edição:

Telmo Salgado

Moderator

Telmo Salgado

Moderator
Os fundos e subsídios não são o único motor de desenvolvimento de uma tecnologia, mas eu diria que 20M anuais é suficiente para mostrar que a sociedade/estado tem interesse.
 

William Esteves

Not Shakespeare
São milhões, não mil milhões! :p

A diferença, se for toda para postos, é passar de 9-10 para 18-20 postos (se a memória não me falha, o preço médio é de 2M€).

Visto que a Tesla tem 8 localizações SUC em Portugal, podemos dizer com alguma segurança que 18-20 HRS's conseguiriam assegurar a maioria das deslocações nacionais.
(Claro está, que teriam de ser em contra-ciclo da Tesla, e começar pela instalação nos grandes centros urbanos e não nas AE's.)
Nota: Em Portugal há 18 distritos, já era o suficiente para haver 1 posto em cada “capital de distrito”. E que os FCV têm autonomias reais de 500~600km.

Outra nota adicional, é que o conceito do H2 passa por ter (inicialmente) postos a cada 150km. Face aos 50km para os pontos de carregamento de BEV's.

Com isto, vemos que o preço unitário é mais alto, mas não são precisos na mesma quantidade...
 
Top Inferior