Golf VIII PHV

Luis Neves

Moderator
Staff
Parece que já rola em testes a versão PHV do novo Golf VIII, que vai ser lançado em outubro.

Ainda nada se sabe sobre as especificações, mas seria muito surpreendente se à semelhança do Passat a capacidade das baterias não subir dos atuais 8,8 kWh para uns mais confortáveis 13 kWh ou similar.
 

João Prates

Moderator
Staff
CKL
Mais um com a estupidez imensurável de meter a tomada de carregamento do lado do condutor.

Às vezes penso onde é que estes engenheiros têm a cabeça, se está realmente em cima dos ombros ou algures abaixo da cintura...

Não há nada melhor que encontrar veículos EV ou PHV bem estacionados paralelos ao passeio com o cabo de carregamento sobressaído a apontar para a estrada...

69978958_2435522593175437_8267503623198474240_o.jpg

Foto by Nuno Camacho

Haja pachorra para tanta estupidez junta, parece que nunca saíram com um carro para carregar na vida... espera... se calhar é isso!

EDIT: Ao menos têm a desculpa que se limitaram a copiar a Tesla... que com tanta tecnologia e AI também ainda não percebeu que cabos a apontar para a via é má ideia... enfim.
 
Última edição:

Pedro Tiago

Active member
Já no Ioniq tenho o mesmo problema.

Junto ao Forum Lisboa tenho um carregador muito semelhante ao da foto. O carregador está mais chegado ao lugar da frente do que propriamente ao meio. No lugar traseiro tenho de estacionar o carro em sentido contrário ao da marcha para o cabo chegar ao posto e conseguir carregar.
Felizmente costuma haver por ali um simpatico policia municipal que até já me ajudou a fazer a manobra...
 

Telmo Salgado

Moderator
Staff

Ora bem saúda-se a eletrificação, mas não encontro sob o capot qualquer tipo de cuidado em aplicar um MCI eficiente.
A ausência de cuidados com os clientes que não podem carregar é atroz:

'We’re on a long-term path to reduce our carbon emissions, so of course the share of battery electric and plug-in hybrid cars will grow, which means that our offering of pure ICE cars will decline."


off-topic:

Este grupo de marcas consegue fazer um carro que eletrificado gasta mais que o congénere puro térmico.


Assim não vamos lá, não faz sentido.
 
Não é para fazer sentido, é para cumprir limites legais de emissões em condições de homologação.

O cliente? Ou tem garagem e faz trajetos diários inferiores a 50km, ou esses carros não servem.

Entretanto, há que amortizar o 1.4TSi até ao infinito, mesmo que haja 1.0TSi e 1.5TSi miller em casa.
 
Última edição:

Telmo Salgado

Moderator
Staff
Não é para fazer sentido, é para cumprir limites legais de emissões em condições de homologação.

O cliente? Ou tem garagem e faz trajetos diários inferiores a 50km, ou esses carros não servem.

Entretanto, há que amortizar o 1.4TSi até ao infinito, mesmo que haja 1.0TSi e 1.5TSi miller em casa.
Três frases que dizem da verdadeira função da eletrificação na vw: não pagar multas/baixar custos. Não é ser menos poluente.
E levanta quanto a mim, a maior questão sobre este processo - este conglomerado não tem SOLUÇÕES com menor pegada ambiental para quem não pode ligar à ficha.
No que diz respeito aos PHV, gastarem mais que os congéneres puramente térmicos quando não forem carregados da parede é uma falha descomunal.
O cliente e o ambiente que se lixem, não é?
 

Luis Neves

Moderator
Staff
Gastar mais, não diria. Gastam o mesmo que os equivalentes térmicos, ou seja, muito....

Mas o curioso é que é isto que o pessoal quer: cavalos, muitos cavalos. Sei de fonte segura que os VW, BMW e Mercedes PHV saem como pãezinhos quentes, e o Prius, com os seus modestos 120 cv e metade do consumo, não cativa ninguém. E esta, heim?
 

Carlos Costa

Moderator
Staff
o pessoal quer: cavalos, muitos cavalos. Sei de fonte segura que os VW, BMW e Mercedes PHV saem como pãezinhos quentes, e o Prius, com os seus modestos 120 cv e metade do consumo, não cativa ninguém.
Andamos constantemente a falar da subjectividade que existe na compra de um automóvel, pelas mais variadas razões, e parece-me óbvio que a potência não é apenas um pormenor. Conduzir um carro com 100 cv ou um com 200 cv é muito diferente!
 

Telmo Salgado

Moderator
Staff
Gastar mais, não diria. Gastam o mesmo que os equivalentes térmicos, ou seja, muito....
Não viste o link para o Bentayga que acima deixei em off topic...
Mesmo que seja destinado a ser carregado quando possível, gastar mais que o equivalente térmico puro fora do alcance do EV é no mínimo bizarro, para não dizer coisas piores.
 
Este grupo de marcas consegue fazer um carro que eletrificado gasta mais que o congénere puro térmico.


Assim não vamos lá, não faz sentido.
Para esclarecimento desse Off-Topic:

Este alarido todo em torno das "conclusões" feitas pelos "repórteres dos carros verdes" é uma mão cheia de nada (poucos esclarecimentos, quase nenhum enquadramento e ilações não representativas).

Bentley Bentayga plug-in hybrid rated for lower highway mpg than non-hybrid

O problema começa no topo, o pecado capital da exacerbação da American Way: nos EUA fazemos assim, os americanos pensam assim, portanto, o Mundo é assim... É verdade, o faroeste parece que assim é, mas o Mundo não quer ser o faroeste, e o Mundo não é o faroeste!

O Bentley Bentayga é um veículo relativamente alto, mas decididamente é um veículo pesado:

Bentayga V6 híbrido plug-in: 2620kg
Bentayga V8: 2395kg
Bentayga V8 diesel: 2511kg
Bentayga W12: 2440kg

Por aqui se vê que, em termos de massa a deslocar, o modelo V8 a gasolina leva vantagem sobre os restantes congéneres.
Relativamente à reserva embarcada de energia, temos:

Bentayga V6 híbrido plug-in: 17,3kWh + 19,8 galões US (gasolina)
Bentayga V8: 22,5 galões US (gasolina)
Bentayga V8 diesel: 22,5 galões US (gasóleo)
Bentayga W12: 22,5 galões US (gasolina)

Na verdade, aquilo que os "repórteres dos carros verdes" puderam apurar foi que: the Bentley Bentayga Hybrid it's the most efficient of the US range, but it loses 2 mpg on the highway to the V8 version. Realmente, a homologação EPA atribui 18 milhas de autonomia elétrica e um consumo combinado de 19 milhas por galão, sendo este o consumo combinado mais baixo de todas as versões disponíveis nos EUA (W12, V8 e V6 híbrido plug-in).

O Bentayga V6 híbrido plug-in tem homologação EPA de 17 mpg (cidade), 21 mpg (autoestrada) e consumo combinado de 19 mpg
O Bentayga V8 tem homologação EPA de 14 mpg (cidade), 23 mpg (autoestrada) e consumo combinado de 17 mpg
O Bentayga W12 tem homologação EPA de 14 mpg (cidade), 20 mpg (autoestrada) e consumo combinado de 16 mpg.

Apesar disso, é bastante importante salientar que:

Aparentemente(?), os repórteres americanos de carros verdes ignoram-no, para além de que possuem também requisitos muito próprios:
"vehicles carrying the hybrid badge don’t always get better mileage where it counts". Onde é que conta obter melhores consumos/autonomias? A 30km/h dentro das localidades, a 50km/h em estradas municipais, a 90km/h em estradas regionais, a 120km/h em auto-estradas e vias equiparadas, a mais de 200km/h na reta do circuito da Catalunha? Onde é que fica esse sítio; faroeste?

"looking at highway figures — where you’re hoping a plug-in hybrid will deliver good efficiency, after its charge is depleted (...)"
Auto-estradas e vias equiparadas, vias onde se praticam velocidades acima de 100km/h, obdecem a parâmetros e diretivas de construção que minimizam a frequência de desníveis e mudanças de direção, entre outros, portanto, veículos que arrastam baterias descarregadas nunca vão proporcionar melhores consumos comparativamente a outros que não as possuem (convencionais), quer se tratem de veículos plug-in ou híbridos simples.
A boa eficiência em consumos de combustível obtêm-se com baixos coeficientes de atrito e resistência ao deslocamento, baixo valor de massa a deslocar, alto coeficiente de eficiência das máquinas que disponibilizam a força que promove o deslocamento, entre outros.

Também desconhecem que o Bentayga V8 faz uso de um motor com funcionamento seletivo de cilindros, isto é, em condições pré-determinadas de carga, certos cilindros deixam de queimar combustível, efetivamente tornando-se num motor de 4 cilindros de 1997cc, consumindo assim pouco combustível. Para além disso, o Bentayga W12 também faz uso de um motor com funcionamento seletivo de cilindros, que devido às inerentes características de um motor com dupla bancada de estreitos cilindros em V, permite que os seus 6 cilindros de 2976cc tenham o mesmo consumo no ciclo citadino (14 mpg) que os acima mencionados 4 cilindros de 1997cc. É extremamente expectável que cowboys não consigam compreender esta aparente contradição, especialmente se comparados com os 2995cc + 17,3kWh de bateria no Bentayga hybrid. Mas pronto, são o tipo de repórteres escritores que agora existem, opinam sobre tudo e escrevem sobre tudo, sem se preocuparem em serem rigorosos. Depois nos comentários aparecem:
"Did they forget to efficiency tune the ICE? Next time they should hire Toyota to help." Realmente se lá tivessem colocado um motor V6 a funcionar em ciclo Atkinson iam mesmo ter motores com turbocompressor (450Nm) como os Toyota.
"I'll take the diesel Bentayga!" Seria realmente a melhor opção para quem faça maioritariamente quilómetros em regimes onde a diferença de 2 mpg se manifeste, contudo devido a motivos de hipocrisia social, a versão diesel do Bentayga já não se encontra disponível fora de mercados Euro 5, portanto, tendo em conta o uso, mais vale optar por veículos com tipologias mais adequadas à utilização.

Que Deus abençoe os EUA por muitos anos, para eles poderem andar de Toyota Sequoia e Tundra, enquanto o Mundo todo anda de Tesla poupadinhos...
 

Telmo Salgado

Moderator
Staff
Acho que estás a olhar para o mensageiro e não focar na mensagem que passou.
Nos EUA temos a sorte de perceber o consumo para lá do AER (all electric ratio), que tanta falta faz para aqui na Europa distinguir os verdadeiros consumos de alguns plug-in que são desastrosos quando a bateria acaba. E mesmo que não seja o ambiente natural, porque em AE longas viagens não é o objetivo dessas máquinas, o que é facto é que por motivos de uso em empresa, são usados assim, e deveriam em teoria poder ombrear com os diesel. Nota também que a vantagem de autonomia total é um bom ponto de venda em relação aos EV para esse uso empresarial/comercial ou até pessoal.
A atenção à questão do funcionamento dos cilindros seletivos, um V8 tem sempre 8 pistões a realizar e perder trabalho. Mesmo que 2 ou 4 estejam sem trabalho útil, permitindo outros operar a cargas maiores, logo menos perdas de bombagem, o rendimento térmico é sempre menor que um 6 ou 4 cilindros de capacidade proporcional.
Para mim, eletrificar um V6 e ele gastar mais do que um V8 em autoestrada é um contra-senso, por mais justificações que se dê. Não há aparente contradição, é mesmo o grupo vw dar-se ao trabalho de fazer um veículo a partir de peças, e não um projeto integrado, e daí o acréscimo de peso que o PHEV tem em relação ao V8.
 
Top Inferior