Estudos e opiniões sobre o impacto dos BEV, onde anda a verdade?

Telmo Salgado

Moderator
Staff
Tem sido dos assuntos mais debatidos dos últimos tempos, com a vertente científica e académica a perder peso quando os autores resolvem enviesar os resultados.
Uma coisa parece certa: está a saque a veracidade das notícias propaladas, correspondendo a mecanismos de manipulação e agenda incríveis.
Até um articulista que tem sido por mim acusado de populismo e falta de rigor parece alinhar com esta surpresa de lermos os referidos estudos com sentidos antagónicos e omissões estranhas:


Creio que é hora de termos neste espaço, como tínhamos em Prius-PT, discussão desta matéria que diz muito a quem se importa com a mobilidade sustentável.
Venham mais links e estudos para debate, tb.
 

Bruno R. Almeida

Active member
Boa tarde,

Quanto aos BEV's não tenho dados que suportem a minha opinião (apesar de ter lido agora mesmo que mais de metade da energia produzida em Portugal de 2018 proveio de fontes renováveis) logo metade dos 26.000 km que rolei em 2018 foram de provenientes de energias renováveis. Isso é um facto.

Facto também imensamente discutido na questão dos BEV's e que foi realçado neste artigo e enviesado pelos alemães tem que ver com a produção dessa mesma energia. Ora para quem depende com uma percentagem enorme da industria automóvel para manter a sua economia a funcional, e dessa industria arriscaria que uma larga fatia é devia às motorizações Diesel, juntando o caso DieselGate, não lhes posso dar muita credibilidade. (E é sempre bom recordar que os espanhóis "Seat" tem como casa mãe o grupo VW).

Já o ciclo de vida do produto "automóvel", e segundo o fabricante japonês Toyota, está espelhado na sua politica industrial que cera de 90% das peças são recicladas, incluído as tão famigeradas baterias de tracção. Logo, toda a poluição que possa ser originada para passa números diminutos.

Resumindo:

É minha opinião que os BEV's e PHV ou mesmo HV sejam mais (correcção: leia-se menos) poluidores que os actuais e melhores MCI a gasóleo. Não só na componente de consumos (olhar mais directo) como no seu ciclo total de vida (olhar mais abrangente). Por motivos de reciclagem, ou mesmo de reutilização das baterias de tracção, que para um automóvel pode já não fazer sentido mas para outros fins estará mais que capaz.
 
Última edição:

Bruno R. Almeida

Active member
Obrigado João,

Já corrigi! (foi um absorver de mais ecológicos com menos poluentes) e como a cabeça pensa a 200km/h e as mãos escrevem a 20km/h depois dá nisto.

E o cérebro por simpatia não corrigiu na 2.ª leitura!
 
Era inevitável a reacção daqueles que do lucro do diesel dependem, não vos parece?

Com multas gigantescas para pagar, a confiança do consumidor abalada, e somas astronómicas gastas no desenvolvimento de motores de repente tornados obsoletos - que há-de essa gente fazer senão denegrir o adversário?

É feio o que fazem? Absolutamente! Mas é uma novidade? Claro que não!

Hoje na indústria automóvel, outrora no jogo de outros interesses, dividir para reinar foi sempre a escolha dos que se sabem vencidos.

Abraço
Crisóstomo
 

Telmo Salgado

Moderator
Staff



Não muito bem acolhido por alguns leitores e comentadores da Insideevs, obviamente.
E concordo, porque vai mesmo acertar num dos maiores mitos de onde vem a eletricidade e que consta das argumentações dos impactos dos BEV.

Na minha opinião, é um artigo sem novidade nenhuma relevante, e nem refere as emissões porque os geradores não são a isso obrigados...
 

William Esteves

Well-known member
Todas estas soluções de carregamento de emergência são para mim, uma perfeita estupidez...

Então temos um carro que ao ficar "apeado" no meio da estrada é levar outro carro (para transportar o gerador ou a bateria portátil) para lá e ficarem os dois à espera? Não faria muito mais sentido e muito mais seguro simplesmente rebocar o carro para o posto de carregamento mais próximo?
 

William Esteves

Well-known member
@Carlos Costa , (in)felizmente ainda não o sinto, mas pelos relatos daqui (e outros locais) sim, a nossa rede de carregamento publica é fraca... E é exactamente esse problema que devemos aspirar e fazer barulho para que se resolva.
 

Telmo Salgado

Moderator
Staff
Top Inferior