Espantoso... Peça que não tem, peça que não avaria 😜😂

Vítor Pereira

New member
Viva... claro que em princípio o pessoal que anda no fórum já deve ser "doutorado" no Prius 2g, mas como eu não sou e estou a vasculhar informações sobre a máquina, resolvi publicar o meu espanto... Ora turbo, bomba de direção assistida, compressor de ar condicionado, correia de distribuição, embreagem, motor de arranque... A máquina não tem! E claro está que peça que não tem, peça que não avaria! 😎 Agora claro que terá outras e que poderão avariar...e que como o velho ditado diz...pode ser que seja pior a emenda do que o soneto...estou a especular apenas...mas se alguém quiser dar a sua opinião vou ser leitor.
 

Marco Costa

New member
Viva Vítor
Estou na mesmíssima situação. Na pesquisa que fiz as vezes a bomba de água e atenção ao consumo de óleo. De resto é o sistema híbrido. Comprei de 2007 com 233mil e pelo que tenho visto pode ser preciso pra breve...a bateria...ou não. Já vi casos de 350 e 550mil com bateria original. Vai, provavelmente, muito da utilização e cuidados durante a mesma. A garantia já passou agora vou usar e quando ser sinais aí trato disso. Não esquecendo que o motor térmico também merece e precisa de cuidados.
Além de que a reparação da mesma é possível e mais acessível.
Há que lhe meter KMS e curtir a experiência.
 

Vítor Pereira

New member
Uma dúvida...a mesma bomba de água trata do motor de combustão e do elétrico? Eu pergunto porque ao que vasculhei a máquina tem dois vasos de expansão para poder acrescentar anticongelante...
 

João Prates

Archie Bunker
Compressor de A/C evidentemente que tem, ou não terias A/C.
Bomba de água tens 3, a saber a que arrefece o MCI, a que arrefece o inversor, e a que serve precisamente o A/C.

A que costuma dar de si primeiro, i.e. tem menor tempo de vida, é precisamente a do MCI, que por volta dos 90k km começa a babar um pouco regra geral.
Com a garantia que o carro tem e com os kms que normalmente o pessoal lhe mete, aos 90k km ainda está em garantia, e a despesa é zero.

No 3G as bombas foram todas revistas e são já todas elétricas com durabilidade tipicamente "infinita", i.e. "até cairem as portas" do carro.
Quanto ao resto, é isso, não há, logo menos despesa, e mesmo algumas que continuam a existir como pastilhas dos travões por exemplo, duram 3 ou 4 vezes mais que o "normal".
 
Top Inferior