Discussão dos PHEV - Range-extender ou MCI?

Hugo Pardal

Active member
Eu até prefiro 100% eléctrico... E o carro não precisa de mais bateria... O que é preciso é uma rede de postos públicos mais abrangente e de confiança!

Eu ainda ontem fiz uma viagem de 251km...

À ida fui por nacional (prefiro), fiz 121km e cheguei ao destino com 55% de bateria.

À volta vim por AE para carregar 14min na AS Santarém só para estar à vontade... Mas se quisesse fazer o mesmo percurso de volta chegava a casa com 240km feitos e 10% de bateria ainda disponível.

Actualmente os carros já não têm falta de bateria... Os utilizadores têm é falta de confiança na rede de postos públicos.
 

João Prates

Archie Bunker
A coisa está é ao contrário... No i3 Rex é o modo híbrido que é capado e no Prius PHV é o modo elétrico que é capado.
A questão não é essa.
Sim, tens razão que em modo EV o Prius PHV não oferece a totalidade da potência, assim como o BMW i3 em modo REx também não, mas... há um gigante "MAS":

A questão importante é que em modo EV se eu pedir a potência máxima do carro, i.e. se pedir para ultrapassar o que o modo EV me pode dar, o sistema faz entrar o modo HV pelo tempo que for estritamente necessário para eu me desenrascar da situação em que me encontro a precisar de mais potência, e volta ao modo EV assim que eu deixar de pedir mais do que o modo EV é capaz de dar. Em modo EV tenho só 71 cv mas se pedir mais entra o motor de combustão para me fazer passar dos 120 cv sem qualquer problema em modo HV!

Já o BMW i3 REx se estiveres em modo range extender sem bateria e te vires atrapalhado, estás por tua conta, azar o teu, o pequeno motor de scooter não te dá mais que os míseros 34 cv, é ridículo e inseguro (nos USA houve bronca com isso). É o resultado de ser um sistema completamente isolado do sistema de propulsão, um pequeno gerador feito apenas a pensar em te deixar "arrastar" até ao próximo posto de carregamento.

E é mesmo por essa razão que eu prefiro a solução Rex... O carro é suposto ser principalmente eléctrico e só ocasionalmente ter de ser híbrido em condições particulares inferiores a 5% da sua utilização habitual. No PHV as suas características estão capadas na sua faixa principal de utilização.
Na sua principal faixa de utilização no Prius 4G PHV tens potência mais que suficiente para te moveres a rolar acima dos 100 km/h, até quase aos 140 km/h me cruzeiro, não te chega?
Os principais pedidos de potência que ultrapassam a potência disponível em EV são de aceleração forte, ou situações de "aperto" onde tens de te desenrascar rápido.
Nessas tal como expliquei tens o MCI para te ajudar sem crise a ultrapassar a situação momentânea, e com isso só poupas a bateria que não sofre grandes esticões de potência!

A solução PHV é melhor em tudo IMHO, se a autonomia for a mesma, note-se, fiz disso ponto fulcral desde o início.
Tens potência e conforto em modo EV para o teu dia a dia, em caso de esforço maior o MCI pode entrar e poupar a bateria, e no caso da bateria esgotada tens um carro com 100% das características para ir onde for preciso.
Num REx enquanto estás em modo EV a bateria tem de aguentar todo o esforço, mesmo o mais penalizador, e uma vez gasta tens o motor de uma scooter a puxar um automóvel.

Para mim não há qualquer dúvida quanto à melhor solução técnica.
Como por enquanto temos PHVs de muito curta autonomia, e só os REx têm autonomias decentes (até excessivas quanto a mim), acaba por ser um não problema.
Ou dizendo melhor, um problema a dobrar, porque somos obrigados a escolher entre uma ou outra preferência quando podia ser na mesma solução o melhor dos 2 mundos.
 

João Prates

Archie Bunker
Por questões de arrumação de componentes/empacotamento, parece-me mais fácil ter um EV com autonomias de 150-200 km e um pequeno gerador para as necessidades pontuais, do que um PHV como o Prius a ter uma bateria para esses 150 km e manter o sistema híbrido.
Não estarás a pensar em pequenos carros como o i3?
Ora agora pensa lá em carros do segmento C como o Prius ou um Série 3... ainda continuas a achar impossível fazer um PHV com bateria maior?
Se tens problemas de espaço ainda assim, pensa num SUV, um RAV4 ou outra bisarma dessas... achas difícil fazer uma bateria de ~30 kWh sob o piso? Eu não acho.

Se for possível de fazer sem a mala desaparecer ou se tornar num carro de dois lugares, preferia, sim...
Evidentemente.
E já conduziste ambos os conceitos por muitos kms, percebes bem a diferença.

Não justificava os mesmos 100kg ou até mais do MCI+depósito+escapes, etc. em mais bateria de tração?
Não creio. O problema não é o peso, é a disponibilidade de fonte energética.
Podendo abastecer a electrões é evidente que toda a gente prefere (se o preço for competitivo), mas o problema é que por vezes só encontras postos de combustível.
E com a trampa de rede Mobi-e que temos, niguém no seu perfeito juízo se faz à estrada sem ter a certeza que tem onde carregar sem correr riscos, excepto se num PHV ou REx.
 

Bruno R. Almeida

Wellness Coach
Não conhecendo no meu dia a dia nenhuma das realidades, mas pela minha percepção pessoal, eu preferia um bom PHV.

Pelo simples motivo da disponibilidade de potencia.

Desde que comprei o meu Prius 2G que nunca mais tive medo de ultrapassar. Era incrível. E de longe ter as especificações dos atuas PHV.
 

Telmo Salgado

Moderator
Ora bem, já havíamos visto este motor de pistões livres antes, num tópico já com algum tempo em Prius-PT.


Precisaria de mais dados como a eficiência para poder subscrever estas tecnologias de MCI...
 
Top Inferior