Diário de Bordo Outlander PHEV (Ironhide) - João F.

Este será o meu novo diário de bordo do Ironhide.

Para quem não conhece o Ironhide é um Mitsubishi Outlander PHEV MY16 de Jan/2016 e aqui poderão encontrar
a continuidade, partilha de informação e experiências iniciadas no portal anterior (Prius PT)

Diário de Bordo do Ironhide
 
Última edição por um moderador:
o rav4 phv para mim vem fora de tempo.
o outlander pode não ser um campeão de consumos mas não tenho nada de mau a apontar. tem carga rápida (até ao momento é o único phv que tem) apesar de não ser tão rápida como um i3 ou ionic os 19kw d e potência média de carregamento dos 30 aos 80% não deixam de ser uma mais valia.
apesar dos 70.000km que marca o odo continuo a co seguir fazer 50+ km por carga Quando estou em modo zen. ou seja não se justifica trocar um phv por outro phv.
Quando ao TMS o Neves conhece-me bem, mas se existir troca seria o Prius por um BEV, o outlander irá ficar até pq da perfeitamente para os trajectos diário de 30/40km
 
Entrada para fazer o update das férias.

Foram poucos dias, mas férias são férias...

Quanto tiver oportunidade desenvolvo um pouco o resumo de cada dia.

Dia 1
Guarda - Gerês


O 1º dia começou bem cedo na Cidade mais Alta rumo a Vila Real, local onde a maquina e o dono recarregaram baterias...
Aconselho a francesinha do Restaurante Cardoso.
O Percurso foi feito em ritmo descontraído.

Total de distancia percorrida: 287,80 km
Distancia EV: 133,20 km
SOC inicial: 100%
Carga intermédia: 1 carga a 90%
kWh consumidos: 25,3kWh

Consumo Combinado: 5,5lt/100
Velocidade Média/Máx (real): 77,6/126km/h





---------------------------------------------------

Dia 2
Gerês - Gerês


O segundo dia não começou bem, chego ao carro e verifico que não carregou nada... explicação a ficha que o hotel disponibilizava no estacionamento estava limitada a 10a, ora como tenho o Prime EVSE sempre definido para os 16a nem me lembrei de alterar. Resultado saída para a incursão no Geres apenas com 10% de SOC
Valeram as descidas brutais com inclinações a rondar os 11% para dar umas cargas rápidas ao Ironhide. No final do dia tinha rolado 60% em EV fantastico. No entanto as subidas igualmente brutais tb haviam causado estragos no deposito de Gasolina :(

Total de distancia percorrida: 116,30 km
Distancia EV: 70,00 km
SOC inicial: 10%
Carga intermédia: 0
kWh consumidos: 13,3kWh

Consumo Combinado: 7,7lt/100
Velocidade Média/Máx (real): 30,2/76km/h

Foto da cascata do arado, local fantastico pena o excesso de pessoais a visitar.



Neste espaço a fauna e flora conviviam descansadamente com os turistas.


Local de carga cedido pelo hotel, o LEAF é da casa contudo carregar um BEV a 10A quase parece castigo divino... Algo a melhorar.


---------------------------------------------------

Dia 3
Gerês - Guimarães - Gerês


Dia de voltinha descontraída pela zona, e aproveitar para fazer uma escape room em Guimarães.
Como esta cidade é pró EV é relativamente facil encontrar onde carregar mas como estava com um SOC elevado optei por não o fazer para evitar ocupar um posto.

Nota, em Guimarães os BEV e PHV que possuam dístico do IMT não pagam parqueamento.

Total de distancia percorrida: 61,60 km
Distancia EV: 58,10 km
SOC inicial: 100%
Carga intermédia: 1 carga parcial apróx 30%
kWh consumidos: 14,4kWh

Consumo Combinado: 0,8lt/100
Velocidade Média/Máx (real): 30,1/70km/h

---------------------------------------------------

Dia 4
Gerês - Boticas

Total de distancia percorrida:
144,10 km
Distancia EV: 79,40 km
SOC inicial: 100%
Carga intermédia: 0
kWh consumidos: 17,6kWh

Consumo Combinado: 5,7lt/100
Velocidade Média/Máx (real): 37,0/78,0 km/h

Visita à Ponte da Misarela, local recomendado pela sua beleza natural




Vantagens do Outlander, circular dentro e fora da estrada com direito estacionamento à patrão.



Cascata da Cela do Cavalo, o ponto alto da viagem. O acesso é difícil, feito através de 1,5km de caminho apenas circulável para carros com tracção. O Outlander apesar de não ser um 4x4 puro mostrou estar à altura do desafio e mesmo nas situações mais difícil o AWD conseguiu salvar o dia :)

Claro que este percurso foi todo feito em EV para evitar impactos negativos na fauna envolvente.

Dada a localização remota deste espaço, praticamente não havia humanos pelo que se passou uma tarde fantástica.



Paragem na capelinha de Cela para agradecer aos Santos a passagem segura do Ironhide pelo trilho infernal que jazia abaixo.



Estradinhas típicas por onde andei metido, onde para fazer 15km demorava mais de 30 minutos.



Vista do topo onde é visivel o trilho que desce até à cascata da cela do cavalo.


---------------------------------------------------

Dia 5
Boticas - Guarda


Partida de Boticas praticamente sem SOC e bem cedo para não faltar à marcação da visita guiada ao complexo mineiro romano de tresminas (recomendo vivamente a visita) como estava atrasado o percurso entre Boticas e Tresminas foi feito em modo Fangio, com direito a copiloto e tudo, resultado este percuso parcial acabou com uma média de 11lt/100 e incluiu uma boa parte da A24 e do seu sobe e desce à velocidade máxima do carro ou seja 170kmh reais o que equivale a 180 no ponteiro ( o Serrano é mais despachado e marca os 196kmh no ponteiro).

Total de distancia percorrida: 295,80 km
Distancia EV: 78,10 km
SOC inicial: 15%
Carga intermédia: 0
kWh consumidos: 21,9kWh

Consumo Combinado: 8,3lt/100
Velocidade Média/Máx (real): 77,7/170,0 km/h



---------------------------------------------------

Resumo
Km totais: 905,60
Km EV: 418,80

Gasolina Consumida: 58Lt
kWh Consumidos (Carga e Regeneração): 92,50 kWh

Médias:
Média combinada global Gasolina:
6,4lt/100
Média puramente a Gasolina: 11,9 Lt/100
Média puramente a Electricidade: 22 kWh/100
 
Última edição:

Telmo Salgado

Moderator
Locais lindíssimos!! ✌
 
Amigo,

Não sei o que fazes na vida, mas bem te podias dedicar ao turismo de qualidade.

É uma área que está por explorar, e simultaneamente promovidas a mobilidade sustentável.

Fiquei sensibilizado com o pormenor de andares em modo elétrico para não poluires a natureza.

Abraço amigo
Crisóstomo
 
Ano novo vida nova... ou então não.

2020 começou como sempre com a chegada do mês de Janeiro.

Este mês foi atribulado para o dono do Ironhide, e para o próprio Ironhide.

Mas primeiro um pequeno resumo de 2019...

Em 2019 foram rolados cerca de 16.500km dos quais um rácio ev "real - MCI desligado" de 79.7%

Médias de fim de ano
19,3 kWh/100km
2 lt/100km
Velocidade Média 47.1 km/h
Velocidade Máxima 170 km/h


Apesar do reduzido numero de quilómetros com recurso ao MCI, em mês de aniversário lá foi o Ironhide à revisão anual.
Tratou-se da revisão referente aos 80k ou 4 anos.

Total da dolorosa 268,74€

Digo dolorosa pois continuo a considerar um desperdício mudar um óleo cuja utilização foi residual mas pronto.

To be continued
 

Telmo Costa

New member
O óleo deve ser trocado anualmente, independente da quilometragem rolada.
O final de 2019 também foi atribulado para o meu outie phev, teve um encontro imediato com um nissan micra na véspera de natal e como resultado vai conhecer a compactadora antes do devido. =X o substituto há de chegar entretanto.
 
Continuando o relato do atribulado mês de Janeiro, no final da semana passada enquanto circulava debaixo de um pequeno diluvio dou por mim a fazer contas de cabeça relativamente à idade do Ironhide...
Ora bem, pensava para mim mesmo, se a AT cobrou o IUC em janeiro significa que o carro deve ser de Janeiro. Ora 2020 - 2016, um dois três.... shiiiiett quatro.
Não fui à inspecção!!!!
Paro o carro e constato que a matricula era de 8 de janeiro de 2016, ou seja quase um mês em contra ordenação.
No dia a seguir fui trabalhar de mota num dia de inverno puro, e lá consegui marcar para a tarde a visita ao IPO.

Recolhi o Ironhide e fui à hora marcada para o centro de inspecções, e aqui começa a aventura.

Comigo dentro do carro começa o tradicional reportório, ligue as luzes, piscas máximos blablabla
No entanto começo a ouvir, mínimos, médios, máximos, repetidamente.... mau pensei eu enquanto tentava avaliar o que se passava.

Aparentemente a maquina estava confundida pelo facto de o Outlander ter 2 luzes de médios... enfim


O problema lá se resolveu por ele e lá passamos à fase seguinte.

Capot aberto, lá me pediram. Acelere o motor até as 3000rpm...

Humm, não dá (respondi eu). E muito sinceramente não sei como se faz, (o procedimento do Prius conheço, no Outlander desconheço o mesmo).

Mau diz o técnico, acelere lá, acelero a fundo e nada!!! o carro está em EV, bateria quase cheia, nem forçando com o botão Charge....
Entrego o manual ao rapaz, e lá começa ele a procurar.... passados uns minutos nada! devolve o manual sem solução.

Foi então que me lembrei de forçar o aquecimento ao máximo e eis que o MCI arranca. Grito para fora do carro, olhe aproveite agora que ele não ai ficar ligado muito tempo, e assim foi, feito o pré aquecimento o MCI desliga-se para não se tornar a ligar durante a visita hehehhehehehe.....

No final o Outlander venceu pelo cansaço, até pq os fumarentos que estavam na fila deviam garantidamente emitir muito mais do que ele....

O resto foi pacifico, rolos, amortecedores, e elogios à maquina... folha verde para mais 2 anos, e de preferência dentro dos prazos legais...
 
Vá lá, correu bem. É que agora a GNR consulta online as viaturas que não tem IPO em dia e facturam logo.
Quanto ao episódio no Centro de Inspecções, caricato mesmo.
Vou já pesquisar como se entra em modo inspecção.
 
Top Inferior