Diário de bordo do Lieutenant Miles Crusher - Prius PHEV 2017

Léo Grova

Active member
João, era numa perspectiva de comparação.
Mas sim, claro, fica mais fácil de encontrar se moveres.
Eu queria era descrever esta viagem com mais detalhe, no sítio certo, e fazer a comparação da utilização dos 2 produtos.

Mas claro, move como fizer mais sentido.
 

Léo Grova

Active member
Mas tu estás infinitamente mais capacitado para organizares da forma que achares melhor.
Aceito, respeito e até agradeço.
Se achares que fica melhor de outra forma, eu também acho.
👍
 

Léo Grova

Active member
Alfragide, 06 08 2029

A viagem tutti frutti

Quem como nós tem gosto pelo Prius, percebe que às vezes fazemos coisas... pouco lógicas em prol "daquele número ".

Para mim, neste dia, "aquele número " era ultrapassar os 2000kms com um depósito ( depósito este que já tinha 3 mangas Algarve-Lisboa, note-se).

Então, e como estava com 1900 e tal kms percorridos; contra toda a lógica, ao invés de atestar na minha bomba preferida ( e mais barata); optei por incluir os primeiros kms da viagem em modo EV, e assim atingir os 2000kms; planeando atestar em Palmela. Note-se também que ainda tinha 92 kms de autonomia fóssil.
E assim lá fui alegremente em modo
Ev até à área de serviço de Palmela, a 90km/h - o depósito lá ultrapassou os 2000 kms. 2012km, para ser mais exacto.

Curioso foi o percalço a atestar, e a constatação que as principais diferenças entre abastecer um Ev e um Mci, não serão tanto o tempo, mas mais a abundância, a previsibilidade e a não obrigatoriedade em percursos maiores - a bomba parou aos 19l. Isso ( ir ao interior da loja relatar; iniciar novo abastecimento)e a casa de banho, cobraram a esta paragem 14 minutos!

Segui viagem, por mais uns poucos kms, com
Velocidades de 90km/h até atingir os 13% de SoC, em modo Ev. Não atrapalhei ninguém - havia pouquíssimo trânsito, e o único camião que se aproximou de mim, tive o cuidado de aumentar a velocidade para não o atrapalhar( para não o obrigar a ultrapassar, causando embaraço ao restante tráfego, que era muito pouco.

A partir daí, passei para modo HV, e segui a 140km/h - só abrandei para os 125km/h próximo da área de serviço de Aljustrel - (Edit)

A média final foi 4,26l/100kms. Contas "à mão " pois parei para abastecer.

Sai às 21h16m
Cheguei à porta de casa, em Vilamoura, às 00h01m
Tempo total de viagem 2h45m
Primeira manga: 33 minutos
Tempo de paragem para abastecer :14minutos
Segunda manga: 1h58m

Nota: 140km/h não é legal, e não é sustentável. Qualquer linha que escrevam a criticar , eu dou-vos razão em antecipação, e não vou justificar o injustificável.

Dizer só q por chegar à meia-noite, ainda apanhei o meu filho acordado...
Caso seguisse a 110km/h, chegaria às 00h20m.

Nota final - média de 4,25l/100kms? A estas velocidades? Este carro é fantástico, e a cada km que percorro , gosto mais dele.
 

João Prates

Moderator
CKL
Uma coisa que me ocorreu perguntar recentemente e depois acabai por não o fazer.

Tu tiveste o Prius 4G antes, certo? Que vendeste para comprar o Hyundai, porque não suportavas os bancos do 4G. Foi isto ou sonhei?

No Prius 4G PHV nunca te ouvi um único reparo aos bancos. São assim tão diferentes da versão HV para a PHV?
 

Léo Grova

Active member
... visualmente, são praticamente iguais, mas... Sinto 3 pequenas grandes diferenças:

1) O banco do Lieutenant, na posição mais baixa ( posição esta na qual o assento tem um ligeiro tilt para trás, e as costas mais suportadas )eu estou mais alto que no HEV. Ou seja, estou numa posição adequada; no HEV não estava; ficava muito baixo e com alguma dificuldade em ver convenientemente a estrada . Nesta posição baixa, as laterais ( arm rest da porta e consola central) suportam-me os braços ; isto sem ter a visibilidade comprometida.

2) Seja em que regulação for, não sinto incomodo absolutamente nenhum do encosto de cabeça. No HEV tinha dores por sentir a cabeça permanentemente empurrada para a frente

3) O último aspecto, talvez o que me preocupe um pouco, actualmente, este banco suporta-me melhor as costas ao nível do tórax, comparativamente ao HEV. O meu receio é que o banco ceda. Mas também não é um receio muito grande - este carro tem 3 anos - há possibilidade de nem ceder. Os mesmos 3 anos e o preço de aquisição, levam a considerar alterações no banco com outra predisposição; ao contrário de alterar um carro novo.

Em 2017, após um pequeno trajecto de minha casa para o centro comercial de Loulé , a bordo do Prius 4g HEV , em que tive tantas dores , sentei-me num CHR, que estava em exposição no centro comercial , e cujos bancos também me pareciam quase iguais aos do meu carro, e senti-me confortável ...

A ideia de que o meu carro em particular tivesse algum problema com o assento do condutor também já me passou pela cabeça...
Resumindo o PHV permite-me conduzir com o banco completamente em baixo, com visibilidade adequada. O tilt posterior que o assento adquire nesta posição baixa, faz com que a distribuição de forças nas costas seja óptima para mim.

E agora o mais chocante - neste momento estou mais confortável no Prius, do que no Ioniq! Falando só dos bancos. Porque falando de outras coisas, na minha opinião:

O Prius é mais "premium" que o Ioniq. Rola com um grande conforto. O Ioniq sente-se mais seco, mais leve, melhor resposta (em aceleração) mas filtrando muito menos que o Prius.

Edit: sem ter medido, e sem consultar nada, diria também que o Prius é mais insonorizado que o Ioniq. E sim, já andei a 120km/h no Prius em modo Ev.
 

Léo Grova

Active member
Para mim, é sempre um enorme prazer falar/escrever sobre o Prius!
😁

Isto estava logo na primeira página - já foi escrito há muito tempo.
 
Top Inferior