Diário de Bordo de uma avaria na Bateria HV - PRIUS Serrano

Tenho de concordar com o João Prates, adulteração do número de KMS é tão grave que se for descoberto na inspeção periódica é logo caso grave. Ao adulterar os KMS deixamos de saber se as manutenções feitas a partir dessa adulteração são as corretas para os KMS do odometro ou para os KMS reais. O mais certo é mesmo nada bater certo.
Concluindo se não é possível saber se é tudo feito na hora certa como podera ser dada garantia de fábrica?
 

Joao Ferreira

Moderator
Staff
Cliente Ecowatt
concordo com todos, mas como referiu o Prates não se trata do meu caso pelo que sugiro terminar o off-topic por aqui.
 

Joao Ferreira

Moderator
Staff
Cliente Ecowatt
O update desta semana é que nao temos update.

Zero contacto de parte da Toyota. Continua o total desconhecimento sobre o paradeiro e sobre o que estão a fazer.
A única noticia que tive foi o debito no meu cartão das passagens na Scut e Via Verde, 13€ com saída em Grijo PV.
 

Joao Ferreira

Moderator
Staff
Cliente Ecowatt
Não.
Alias, antes da conversão pedi por email à TCAP confirmação por escrito que a conversão a GPL não iria comprometer a garantia HHC.
Adicionalmente existem registos de queixas minhas desde fins de 2016 pelo que a conversão só tendo ocorrido em 2019 não poderá estar directamente relacionada.

Quote do email abaixo:


segunda, 11/03, 13:51

para mim

Exmo Senhor João Ferreira,

Agradecemos desde já o contacto efectuado através do site Toyota.

Relativamente ao exposto, consideramos que o "programa anual de garantia do sistema híbrido" a que se refere é a "Cobertura Extra da Bateria do Sistema Híbrido" este programa apenas cobre a bateria do sistema híbrido.

Informamos ainda que, desde que a bateria não tenha sofrido alterações para a montagem do sistema de GPL, continua coberta pelo programa.

Sem outro assunto de momento, agradecemos a sua preferência pela Toyota e subscrevemo-nos com elevada consideração.

Atentamente,

Serviço de Informação ao Cliente
808 248 248
Toyota Caetano Portugal, SA

 

Joao Ferreira

Moderator
Staff
Cliente Ecowatt
Praticamente um mês depois da entrada do Serrano na oficina com claros problemas na bateria de tracção o mesmo foi hoje finalmente devolvido ao seu dono.
Muito embora ainda não exista nenhuma resposta oficial e por escrito da Toyota posso confirmar que o Serrano tem um bateria HV nova.

Constato que desde que o Serrano foi levado para o Porto foram adicionados 849 Km ao ODO do carro, parte deles incluem a viagem de ida e volta e muito certamente muitos km de teste. Ora este ponto não faz grande sentido pois as queixas eram mais notórias quando se andava em EV a baixa velocidade mas pronto.

Na viagem inaugural fiz o trajeto feito no teste de estrada executado aqui na Guarda com a companhia do responsável da oficina, no teste o carro saindo da oficina com 6 barras e MCI quente não fez 500m em EV. Hoje o Serrano partindo com 6 barras fez 2km em EV tendo no final ainda 3 barras.

Ora isto é como o algodão, o teste de estrada não engana. Agora posso dizer que torno a ter um HSD.

Continuam a faltar as explicações por parte da Toyota, de preferência por escrito, pelo que ainda não dou este tópico por encerrado.

NB: Irá ser aberto um novo DB para o Serrano.
 

Joao Ferreira

Moderator
Staff
Cliente Ecowatt
Actualizei o topico da reclamação na secção oficial da Toyota, link, como a secção oficial está reservada para o contacto com a Marca. partilho o mesmo texto também neste tópico para nossa discussão.

-------------//-------------

Praticamente um mês depois da entrada do meu Carro na oficina e uma semana depois de o mesmo ter sido deslocado, a pedido da TOYOTA, da Oficina Soviauto na Guarda para uma Oficina no Porto, o mesmo foi ontem finalmente devolvido ao seu dono.

Muito embora ainda não exista nenhuma resposta oficial e por escrito da Toyota a oficina informou-me que a bateria HV foi substituida, não tendo mais informação para me poder dar.

Constato que desde que o carro foi levado para o Porto foram adicionados 849 Km ao ODO do carro e foram cobrados na minha via verde cerca de 26€ em portagens (inclui scuts e A1)

Na viagem inaugural após receber o carro, refiz o trajeto feito no teste de estrada executado aqui na Guarda com a companhia do responsável da oficina. No teste o carro saindo da oficina com 6 barras e MCI quente não fez 500m em EV. Com a bateria nova partindo na mesma com 6 barras fez 2km em EV tendo no final do percurso ainda 3 barras.

Ora isto é como o algodão, o teste de estrada não engana. Agora posso dizer que volto a ter um HSD.

Continuam a faltar as explicações por parte da Toyota, de preferência por escrito, pelo que ainda não dou este tópico por encerrado.

Falta explicar:

- Que parâmetros mede o teste HHC, e porque razão não foi esta avaria detectada antes?
- Quem me irá ressarcir do custo das portagens que paguei, enquanto o carro esteve à guarda da Toyota? No caso da A1 podiam muito bem ter parado na portagem e pago a mesma.
- A Oficina Soviauto na Guarda apresentou-me uma fatura de 290€ na qual inclui o ventilador substituido e varios custos tidos com a analise e despiste das minhas queixas sobre a bateria HV. Quem assume o pagamento destas despesas? Eu? Se a toyota assumiu a bateria em garantia a meu ver devia assumir todos os custos, inclusive os que a oficina inicial teve.
- Tendo a Toyota afinal verificado que o cliente tinha razão como pensam compensar o mesmo de todos os constrangimentos causados bem com dos custos adicionais suportados com combustível principalmente no último ano (vou assumir apenas o intervalo de tempo e km desde a reclamação de novembro de 2018)?
Estimo um custo adicional de 400€ só em combustível durante este ultimo ano.

Creio que era de salutar a Toyota esclarecer correctamente todos os seus clientes sobre os processos relacionados com a bateria HV, quer sejam clientes bem informados ou clientes mais desconhecedores da tecnologia.

A ausência destes esclarecimentos criam uma espécie de nevoeiro sobre os 10 anos de Garantia do sistema hibrido (HHC) que apenas me levam a concluir que se trata de um teste muito superficial que não revela os verdadeiros problemas que possam existir.

-------------//-------------
 
Ontem, na Toyota de Setúbal, sabiam do teu caso. Não que tivessem falado no assunto, mas falei eu e o assistente confirmou que sabia.

De onde pensar que toda a insistência que sobre estes testes e sua real eficácia se possa fazer, para utilizadores mas também pessoal da marca, será de enorme valor.

Abraço amigo
Crisóstomo
 
Sobre os detalhes não falamos. Nem eu perguntei nem eles abriram o jogo. Mas na próxima semana regresso a Setúbal e posso perguntar.

Sabiam do teu caso porque nas últimas semanas fui lá três vezes e falei no que se passava com o serrano.

Abraço amigo
Crisóstomo
 

João Prates

Moderator
Staff

João Prates

Moderator
Staff
Desde o princípio que eu estou incrédulo com a forma como este tema foi tratado, e para não fugir a essa regra a Toyota consegue ficar mal mesmo entregando uma bateria nova! :oops:

Há ainda muita coisa por explicar, e outras piores que só sei porque o João me contou em particular, mas espero venha a partilhar aqui, mas das que já aqui partilhou eu tenho a questionar:

1) Qual o motivo da ventoinha de refrigeração da bateria ter sido trocada quando tinha passado no teste, e porque motivo a ventoinha nova continuou sem funcionar quando instalada?

2) Qual o DTC (base + extended) registado no tal teste de final de dia, que finalmente no entender da TCAP justificou a troca de bateria ao fim de 500 km de testes sem qualquer problema?

3) Qual o delta máximo de tensão entre módulos registado no teste de estrada?

4) Qual o nível de SoC mínimo e máximo registado no teste de estrada?

5) Segundo a oficina, no teste de estrada realizado e gravado na Guarda, o SoC da bateria foi a zero por diversas ocasiões. Como pode a TCAP considerar essas ocorrências normais?

6) Que parâmetros são medidos no teste à bateria para efeitos de renovação da garantia, e quais os valores limite admissíveis, para que o cliente possa se assim entender contestar o resultado do teste realizado junto de uma entidade independente em teste independente?

7) Finalmente que suporte técnico é este dado por um importador com a dimensão e responsabilidade da TCAP que em todo este processo até ao momento NUNCA contactou o cliente!?!?!?
 

João Prates

Moderator
Staff
Ah, já agora, não te esqueças também de lhes perguntar que garantia tem agora a tua bateria nova.

Serão 2 anos? 5 anos? 10 anos? Até acabar o prazo da bateria original? What?
 
Prates, compreendo a tua interrogação, mas a sequência dos acontecimentos foi como descrevi.

Nas minhas diversas deslocações à toyota referi mais de uma vez a situação do serrano. Ouviram-me mas nunca me deram saída.

Na última quinta feira estive lá e, falando eu no assunto, o assistente disse que tinha conhecimento da situação. E foi tudo.

Abraço amigo
Crisóstomo
 

Carlos Costa

Active member
Enfim, o tempo e recursos que seriam poupados se trocassem a bateria de imediato. Já TODOS tínhamos percebido onde estava o problema, excepto a oficina, completamente presa a um teste que vale ZERO. Foi preciso sofrer e reclamar muito, mas finalmente tudo está resolvido. Melhor assim.
 

Rui Amaral

Member
Ainda bem que já tens o Serrano como novo João.
Tambem já tive duas "sacanagens" com o meu Prius por parte da Toyota e quem ficou a perder foram eles. PS: A Toyota tem a obrigação de te pagar as portagens, o carro estava ao encargo deles.
 
Top Inferior