DB - Jorge Pereira

Jorge Pereira

New member
O 3G vai com 196 mil . Instalei GPL em Março de 2019. Até Março fazia médias que variavam entre 4,8 e 5.2 (reais), agora faz 6,77 litros a gpl mais 0.36 a gasolina ( pensei que as médias a GPL seriam um pouco mais baixas ). Isto faz com que tenha um custo de cerca de 4€/100km.
Desde Outubro de 2017, não surgiram problemas, só combustível e revisões (a horas). Adoro o carro, o conceito, a condução, o conforto, o equipamento ...
Tenho de pensar em polir os faróis dianteiros. Alguém tem uma opinião sobre "polir faróis" ?
Cumprimentos.
 
Bom dia,

Também tenho um 3G de 2009 e os consumos andam nos 3.9. Estranho, por isso os consumos que referes antes da transformação para GPL.
Sobre os faróis a única coisa que posso partilhar é que não envernizes. Tive um 2G que vinha assim e deu imenso trabalho a retirar. Com o tempo, e sob o calor dos faróis, o verniz salta e fica uma porcaria.
Abraço amigo
Crisóstomo
 

Jorge Pereira

New member
Bom dia,

Também tenho um 3G de 2009 e os consumos andam nos 3.9. Estranho, por isso os consumos que referes antes da transformação para GPL.
Sobre os faróis a única coisa que posso partilhar é que não envernizes. Tive um 2G que vinha assim e deu imenso trabalho a retirar. Com o tempo, e sob o calor dos faróis, o verniz salta e fica uma porcaria.
Abraço amigo
Crisóstomo
Olá, boa tarde,

Muito obrigado pela partilha Crisóstomo.
Não sou muito entendido em carros. Já fiz 2 revisões na Toyota e não foi referido nada de "estranho". Faço uma condução moderada e a olhar para o consumo (emissões/poluição). Será que os consumos estão relacionados com a saúde da bateria? Existe algum tipo de "revisão" ou intervenção para aferir se os consumos são "normais" ou se precisa de algum tipo de "afinação" ?
Os faróis, há 2 anos estavam com bastante melhor aspecto :), tinha receio de os mandar polir e estragar mais.
Mais uma vez, obrigado.
Abraço amigo.
Jorge
 

João Prates

Moderator
Staff
Jorge, NÃO precisas de carregar no botão "Resposta" do post imediatemante anterior quando pretendes responder.
Basta escrever na caixa do novo post imediatamente abaixo.
Que vantagem temos em ler duas vezes em sequência o mesmo texto?
Please...
 
Amigo, não sou a pessoa certa para o esclarecer.

Em todo o caso, imagino que a pressão dos pneus (por exemplo) terá importância no consumo.

Mas, avaliando pela minha irmã que tem um 2G de 2008, posso dizer que ela quando começou fazia médias exorbitantes. O motivo era fazer percursos de 2/3 km. Acelerar demasiado. Não se ter inscrito na Comunidade apesar da minha insistência (nem ter lido pevide sobre o Prius) e por consequência não saber tirar partido do dito.

Na semana passada estava toda orgulhosa porque no fim de semana tinha conseguido andar nos 3.7. Eureca! Ora 3.7 fiz eu no carro dela numa viagem ao Alentejo, com 5 pessoas a bordo, bagagem, e AC ligado. Tudo numa boa, pela nacional, não abusando do acelerador mas andando ligeirinho.

Penso que encontrará postagens de outros mais sabedores (por exemplo o João Prates o o Telmo) onde encontrará informação sobre o que pergunta.

Abraço amigo
Crisóstomo
 
Esqueci-me de dizer que a minha irmã é muito nervosa, o que a torna algo brusca a conduzir. Ora uma das coisas que aprendi com o Prius é a andar nas calmas, é a deixar o carro conduzir-nos. Mantendo um olho no display na barra do consumo instantâneo é possível, sobretudo em cidade, andar à borla. O que é uma delícia pelo silêncio que se instala e pela satisfação que sentimos.

Nervos exaltados e consumos baixos não é compatível.

Abraço
amigo
Crisóstomo
 

Jorge Pereira

New member
Obrigado Crisóstomo!

Vou aproveitar as sugestões, mas para mim, parece-me quase impossível consumos tão baixos.
Por norma, também deixo a máquina acelerar, sem forçar, tento não entrar na barra do "power" . Atinjo a velocidade e tiro o pé. Desacelero com antecedência para evitar travagens mais fortes. Provavelmente o traçado do Porto e arredores e os quilómetros dos percursos não ajudam...faço cerca de 60km/dia, mas normalmente não faço mais de 15km seguidos. Também controlo a pressão dos pneus, tenho um pouco acima do recomendado.
Vou ler mais "postagens" do João Prates e do Telmo, já percebi que são TOP.

Grato pelas "dicas" e partilhas.

Um abraço amigo.
Jorge
 

Pedro Tiago

Active member
Cliente Ecowatt
Atinjo a velocidade e tiro o pé.
Se não tiveres o intuito de travar o carro, e quiseres deslizar, a opção mais eficiente não é retirar o pé completamente, mas sim aplicar algum acelerador de maneira que fique naquele ponto óptimo onde não estás a regenerar nem a acelerar. No gráfico HSI deverá ficar (no 3G) o mais perto de não mostrar a barra.



Tens mais informação aqui: Condução economica (inclui Pulse and Glide) , e logo no primeiro post aqui: A arte de travar (regenerar) (da qual tirei a imagem)

De notar que é um ensinamento válido quer para os híbridos, quer para os EVs.
 

Armando Costa

New member
Jorge,
Quando se fazem 60km dia, mas resultantes de um conjunto de pequenos percursos de menos de 15 km, não se podem pedir medias muito baixas.
Sempre que inicias um desses pequenos percursos, o motor tem de aquecer e não vais ter kms pela frente para fazer baixar a media.
A isso tens de de considerar a orografia que no norte implica subidas e descidas, enquanto mais para sul os percursos tendem a ser mais planos.
E se numa descida carrega a bateria, a subida gasta bem mais que o que se recupera em igual descida. Neste cenário de sobe e desce, com o tempo vais perceber como obter os melhores resultados. Temos o exemplo do "Prius Serrano" que dá cartas em médias em montanha.
O estado da bateria também é importantíssimo. O meu Prius de 2011 recebeu recentemente uma bateria nova, e, sem querer embandeirar em arco, está a fazer muitíssimo melhores medias e um deposito para 1000 Km já não é uma miragem. Os meus últimos 100km (ida e volta -Oliveira Azemeis/Praia da Barra Aveiro) registou no CB 3,8. Com a bateria anterior, o regresso (com diversas subidas) faria subir a media para pelo menos os 4,7 no CB.
Claro que este resultado de 3,8 acaba por vir a a se manchado pelas pequenas deslocações que se seguem.
Para ajudar a "entender" o Prius, tenho sempre o Hybrid Assistant ligado.
Cumprimentos
 

Jorge Pereira

New member
Bom dia Armando,
Obrigado pelo teu comentário :)
Apesar de não ser muito entendido, estou convicto de que é conforme dizes...percursos de poucos quilómetros e subidas e descidas acentuadas, não ajudam à média. Por outro lado e infelizmente, a bateria deve estar a dar as ultimas... apesar de no teste da Toyota, na ultima revisão em Julho, "estar bem".
Pelo que vou lendo, é um "estar bem" relativo, só mesmo quando acender o "triângulo". Fica a parte positiva de que quando substituir a bateria as médias descem.
Tenho vindo a praticar o "glide" e tenho conseguido melhores médias, cerca de 0.2 mais reduzidas.
Cumprimentos,
 

Jorge Pereira

New member
Bom dia :)
Só para partilhar que no meu 3G, no passado dia 31Out, apareceu "Check Hybrid System", com direito a triângulo laranja e luz do motor.
No mesmo dia entrou na Toyota e foi diagnosticado uma bateria para reciclar.
Hoje está com 199.000km e com bateria nova.
Sendo de Jun2010, foi na altura certa.
Cumprimentos

IMG-0452-min (1).jpgIMG-0452-min (1).jpg
 
Já se começa a ver que começam a surgir problemas nas baterias, a partir dos 150 000 km até aos 200 000 km, correto?
 

Telmo Salgado

Moderator
Staff
Cliente Ecowatt
Já se começa a ver que começam a surgir problemas nas baterias, a partir dos 150 000 km até aos 200 000 km, correto?
Em Barcelona no ano de 2017 fui perguntar a um taxista e ele respondeu "250mil km mais ou menos".
No meu caso em particular, 9 anos e 217mil km e não tenho senão uma tendência para baixar e subir mais rapidamente que outrora.
 
Última edição:

Jorge Pereira

New member
Olá :)

Pedro Tiago - Gosto mais do vermelho Prius :cool: . Alem disso, o SF90 Híbrido, tem 1000 cavalos e não tenho espaço lá em casa :cool:
Pedro Oliveira - Sim, pelo que tenho "ouvido" os 3G por volta dos 200.000, as baterias ficam "cansadas". Suponho que poderá variar consoante o tipo de utilização.
João Ferreira - Os sintomas que comecei a ter nos últimos meses, foram muito semelhantes aos que tu relataste no "Serrano". Consumos a subir, descarregar e carregar mais rápido, estar quase completamente carregada e o motor de combustão continuar a trabalhar (mesmo parado), ficar apenas com uma barra de bateria e frequentemente sentir o MCI a trabalhar mais vezes que o habitual. A diferença é que a minha bateria passou um período de "agonia" mais curto, talvez 8/10 meses.
Telmo - o relato dos taxistas pode encaixar pelo facto de fazerem esses quilómetros num período mais curto e suponho que o tempo e o clima também serão factores de degradação. Se a bateria do Branca de Neve está a terminar, seria bom que fosse antes dos 10 anos. Pelo que percebi a bateria deve rondar os 1.300€ (a acrescentar impostos, suponho).
Tive um custo de cerca de 50€ que foi o filtro e limpeza da ventilação da bateria. Mas alertaram para avisar, nas próximas revisões, que este serviço já foi efectuado aos 199.000.
Ao dispor.
Cumprimentos,
 

Bruno R. Almeida

Active member
Não consegui apurar se existem diferenças muito significativas na química das baterias do 2G para o 3G, mas o meu 2G foi vendido com +/- 170.000km e até hoje nada de problemas na Bateria! E é de 2009.
 
O meu 3G é de 2009 e teve de trocar a bateria em Março deste ano. Por consequência durou 10 anos menos uns trocos.

Já quanto aos quilómetros não me posso pronunciar porque , embora o contador indicasse cerca de 180.000, não existe certeza (dado ter sido alterado) dos quilómetros reais.

Lendo as vossas postagens, e recordando o 2G de 2005 que tive, lembro-me que mudou a bateria em 2016. Por consequência dentro do prazo dos 10 anos.

A meu ver mudar uma bateria de 10/10 anos parece-me perfeitamente legítimo. Assim esta que coloquei em Março os dure.

Já garantias não tenho porque, como o conta quilómetros foi alterado, o importador anulou toda e qualquer garantia. Decisão que vai contra a lei, mas é assim.

Abraço amigo
Crisóstomo
 
Top Inferior