Como funciona a travagem nos Teslas?

João Prates

Archie Bunker
A propósito de um vídeo de um conhecido YouTuber fiquei abismado com uma afirmação dele, aos 13:47 diz algo tão espantoso como as viaturas Tesla travarem unicamente com travagem mecânica de fricção, que não utiliza travagem regenerativa!


Isto é verdade? Não é pois não?
Custa-me muito a crer que a marca mais avançada do mundo em vendas de BEVs não seja capaz de aplicar travagem regenerativa nos seus carros!

Se isto for verdade nem sei como classificar uma escolha/opção destas por parte da Tesla.
Para mim a ser verdade é simplesmente inaceitável e uma vergonha total, para não falar de perder bastante em eficiência, evidentemente.

Digam de sua justiça quem tem Teslas!
Isto é mesmo assim ou é asneira do YouTuber?
 
Solution
Hoje dei uma volta e verifiquei algumas coisas.
- O Big Foot não tem as opções do model 3. No que se refere a regeneração, tem standard e reduzido, e no que respeita a Crawl, tem ligado e desligado.
- A regeneração atua até cerca de 8-10 km/h, não notei qualquer diferença entre os diferentes modos.
- Adicionar desaceleração com o pedal do travão não altera a potência de regeneração.
- Numa descida com bastante inclinação que usei como teste, levando o pé do acelerador a velocidades de 80 km/h gera 50 kW de potência de regeneração em modo standard e 30 kW em modo reduzido.
- Em modo standard mesmo com grandes inclinações a potência de regeneração é suficente para desacelerar o carro, acendendo as luzes de travagem;
- Em 20 km de...

Carlos Costa

Moderator
Os Tesla têm travagem regenerativa, ajustável em intensidade. No entanto, fiquei intrigado com o que o Tom diz no vídeo. Será que assim que pressionamos o pedal de travão ele deixa de regenerar e faz apenas travagem mecânica? Será que a travagem regenerativa nos Tesla é apenas um abrandamento regenerativo? Isso seria um pouco estranho, para não dizer outra coisa... Será mesmo?
 

William Esteves

Not Shakespeare
É verdade.

Regeneração só se levantar o pé do acelerador em 2 níveis de intensidade a escolher no monitor, o travão só adiciona os de fricção.

Caso se tenha a regeneração no Standard, não irá aumentar a regeneração, apenas adicionar travagem por fricção.
 
Última edição:

Alexandre Jesus

Active member
Ok, já vi o vídeo e não está a dizer nada errado a meu ver.
Explica que o VW funciona como os Toyota: utiliza uma determinada regeneração que só aumenta se pressionares o travão.
Não vejo vantagem nisso.
A Toyota mantém esse sistema por ter tido intenção de fazer o funcionamento o mais parecido possível dos vulgares carros automáticos, para que o cliente não estranhasse.
A única coisa desconfortável, e que requer habituação, é quando a bateria está carregada: a capacidade de regeneração diminui drasticamente e obriga a utilizar o travão. Só conheço uma marca em que isso não acontece: a BMW.
 
Última edição:

Carlos Costa

Moderator
Os EV's do grupo Hyundai / Kia têm três níveis de regeneração, accionados por patilhas, e um quarto nível de regeneração zero, que uso frequentemente. Independentemente do nível escolhido, sempre que o pedal de travão é pressionado o sistema faz travagem regenerativa. Aliás, até tem um "contador" instantâneo para a corrente gerada durante a travagem. Fraquinho, o sistema da Tesla! 😂
 

Pedro Tiago

Knight that says "Ni"
Quanto mais conheço os Tesla, mais gosto do meu Ioniq!!! 😜
 

João Prates

Archie Bunker
Ok, já vi o vídeo
Dica: Quando faço referência a algo que é dito num vídeo, coloco o mesmo precisamente a começar na posição em que esse algo é referido, basta fazer play na imagem.

não está a dizer nada errado a meu ver
Mau, muito mau, acho vergonhoso que a Tesla não aplique travagem regenerativa, não tem explicação nem desculpa possível, a meu ver.

Não vejo vantagem nisso.
Já lá vamos...

A Toyota mantém esse sistema por ter tido intenção de fazer o funcionamento o mais parecido possível dos vulgares carros automáticos, para que o cliente não estranhasse.
Parece-me que estás a misturar e trocar duas coisas: Travagem regenerativa com o efeito crawl - efeito esse que tanto quanto julgo saber podes ligar nos Tesla.
A travagem tem de ser algo totalmente transparente ao utilizador, i.e. a pressão no pedal corresponde a força de desaceleração, seja auto ou outro tipo de transmissão.

A única coisa desconfortável, e que requer habitação, é quando a bateria está carregada: a capacidade de regeneração diminui drasticamente e obriga a utilizar o travão.
Isso é transversal a quase todos os BEV que carregam a bateria até ao topo, má prática, mas comum infelizmente.
Num HSD seja PHV ou não essa energia gerada em excesso sem ter para onde ir é dissipada pelo MCI, que não existe num BEV, por isso se carregaste a 100% era de esperar.

Só conheço uma marca em que isso não acontece: a BMW.
Podes juntar a Hyundai, já aqui foi reportado noutros tópicos pela malta que os tem.

Os EV's do grupo Hyundai / Kia têm três níveis de regeneração, accionados por patilhas, e um quarto nível de regeneração zero, que uso frequentemente. Independentemente do nível escolhido, sempre que o pedal de travão é pressionado o sistema faz travagem regenerativa.
Ora cá está. E com patilhas ou sem patilhas para regular os níveis de regeneração, é isto que todos os BEV fazem, ou pelo menos deviam fazer.
Regeneração por lift-off não tem nada a ver com regeneração por travagem! O sistema da Tesla está ao nível do dinossauro... ora como era que se chamava...

O funcionamento no Tesla é idêntico ao Renault Fluence
Isso! Chamava-se Renault Fluence ZERO! É vergonhoso, desculpa lá, a Tesla não sabe fazer travagem regenerativa? Brincamos?
É evidente que sabem e foi uma escolha de desenho, possivelmente herdada desde o tempo do 1º roadster, e que mantêm vergonhosamente nos modelos actuais.

a regeneração está sempre no máximo e doseias com o acelerador. Se precisas de abrandar ainda mais, ajudas com o travão de fricção.
Vamos lá então ver as vantagens da travagem regenerativa que qualquer BEV tem face a este sistema do Renault Fluence, digo, da Tesla:

Como referi anteriormente a força de travagem regenerativa não tem rigorosamente nada a ver com a força de simplesmente tirar o pé do acelerador.
Por muita força de regeneração que ponhas programada no carro, podes sempre querer travar mais depressa, mesmo em one-pedal driving.

Depois não podemos esquecer que ter a regeneração de lift-off forte ou one-pedal driving é muito porreiro em circuito urbano, mas em estrada e AE é um pesadelo.
Em estrada aberta e AE tu queres tirar o pé e com isso deixar rolar o carro, não queres ir a 120 km/h e de repente travar só porque tiraste o pé do acelerador.

Cada pessoa tem o seu nível de regeneração preferido, e normalmente muda consoante as circunstâncias, daí a possibilidade de o alterar via patilhas ou menus de config.
Dizer que para tirar máximo partido da regeneração em travagem eu tenho de ter a regeneração no máximo, é simplesmente absurdo a meu ver.

Eu só posso dar exemplos dos Prius porque são os que conheço melhor, e claro que convido os demais dar exemplos das suas marcas, mas já nos Prius de 3ª geração a regeneração de travagem chegava pelo menos aos 20 kW (não me recordo do valor exacto) para uma mísera bateria de NiMH com 1.3 kWh de capacidade... e o meu Prius 3G PHV de 2012 chega aos 30 kW! Tenho de testar o meu Prius 4G PHV, não lhe tenho dado atenção nenhuma :(
Imagina o que um Tesla não conseguia fazer se estivesse bem desenhado com travagem regenerativa!

Sob outra perspectiva, toda a gente [bem informada] sabe a percentagem brutal que os HSD fazem de trajecto urbano em modo eléctrico, facilmente acima dos 50%.
Aliás muita gente não acreditava, outros ainda não acreditam hoje, mas fiz o teste com o Yaris anterior e comprovei a quantidade brutal de energia que é recuperada em ambiente urbano para a bateria e que lhe permite fazer esse brilharete.

Pensa lá tu, num exercício simples de fazer, se os HSD da Toyota não tivessem travagem regenerativa, e tivessem one-pedal driving que fosse, se conseguias o mesmo resultado... é que nem penses nisso!

Termino com uma pergunta que deve encerrar a questão, penso eu:
Imagina que a Tesla te perguntava no acto da encomenda: Pretende o seu carro com ou sem travagem regenerativa? (sem alteração de preço) - o que respondias?
 
Última edição:

João Prates

Archie Bunker
Deixar só um comentário final:

Nunca pensei, a sério que não, que a afirmação do Tom fosse verdade.
Depois dele ter dito que não sabia o que era o "B mode", algo presente em 90% ou mais dos BEV, não estranharia mesmo nada que tivesse dito asneira a propósito dos Tesla.

Abri este tópico a pensar que ia dar 2 exemplos de como os actuais Youtubers deixam muito a desejar no conhecimento técnico, e afinal deu nisto.
Fica provado que vale sempre a pena questionar, duvidar, porque só assim podemos aprender mais com os outros.
 

Alexandre Jesus

Active member
Estou estupefacto!
Então deixas de chamar travagem regenerativa só porque não tens que utilizar o pedal de travão para a acionar?
Desculpa mas parece surreal.
Como tu bem sabes, a Tesla utiliza a travagem regenerativa da mesma forma que a Toyota até certo ponto. Ou não chamas travagem regenerativa à desaceleração que ocorre quando levantas o pé do acelerador? Essa desaceleração, muito suave, está programada assim para imitar os vulgares MCI.
A Tesla, que não precisa imitar tanto os MCI, optou por levar essa desaceleração até ao máximo. Utilizas o acelerador para dosear o grau de desaceleração, ou de travagem regenerativa, como queiras chamar, o que permite conduzir sem tocar no pedal do travão na maior parte do tempo, caso faças uma condução calma. Se quiseres fazer uma condução mais agressiva, acabas por utilizar o pedal do travão da mesma forma que no teu.
Quando vais na autoestrada queres largar o acelerador sem desacelerar?
Tens vários a oferecer patilhas no volante, tal como o Hyundai, a Mitsubishi, a Porsche, etc., embora desconfie que seja daquelas coisas que são giras no início e que esquecemos rapidamente que existem.
Acho que depois de conduzir um Tesla ou um BMW i3 durante algum tempo, ninguém vai dar importância aos sistemas de patilhas ou do Prius.
Assim sendo, não vejo que o youtuber tenha falhado. Foi simplesmente interpretado erradamente. Acredito que ele saiba do que está a falar.

João, agradeço teres colocado o vídeo no momento que interessava ouvir. Como não sei fazer esses truques, esqueço por vezes que existem. Muito bom!
 

João Prates

Archie Bunker
Estou estupefacto!
Então deixas de chamar travagem regenerativa só porque não tens que utilizar o pedal de travão para a acionar?
Desculpa mas parece surreal.
Relê lá o que escrevi, porque ou não fui claro o suficiente ou não fizeste o esforço devido.
Parece-me no entanto que os outros perceberam, por isso... relê lá sff...

A Tesla, que não precisa imitar tanto os MCI, optou por levar essa desaceleração até ao máximo.
Aqui está a prova que não leste, ou pelo menos não leste com a devida atenção e sossego.
Vou esperar que o faças, não vou repetir tudo o que escrevi de novo, seria uma maçada para os demais.

Assim sendo, não vejo que o youtuber tenha falhado. Foi simplesmente interpretado erradamente. Acredito que ele saiba do que está a falar.
Pronto, já toda a gente viu que não percebeste nada...
Estás a acordar de um turno ou com Jet Lag não?

EDIT: Se alguém quiser tentar explicar o que eu disse por outras palavras, agradecemos, que o problema pode estar na forma de me exprimir.
 
Última edição:

João Prates

Archie Bunker
Como não sei fazer esses truques
pequeno off-topic que vale a pena esclarecer para ti e para quem mais ainda não souber:

Quando no YouTube, por baixo do filme, tens um botão para partilhar "Share" o url do vídeo que estás a ver:

1601983242340.png


Nessa caixa de diálogo basta colocar o checkmark na caixa e escrever o timestamp a que queres iniciar o vídeo, por exemplo 13:46

1601983091744.png


Repara que ele coloca o url a terminar em t=826 que é na prática a instrução para o vídeo iniciar a reprodução ao segundo 826 que equivale ao minuto 13:46.
Depois é só usares esse url clicando em "COPIAR" para fazer paste aqui no post, e já está, simples e eficaz ;)
 

Alexandre Jesus

Active member
ele diz é mesmo que só faz regeneração se tirares o pé do acelerador, mas que a travagem é sempre 100% mecânica, não é "blended", é um "puro malte", topas?
Estou a tentar reler tudo como podes e não encontro onde me tenha enganado...
Aqui nesta tua explicação, parece que estás a afirmar que a travagem é 100% mecânica? Para quem não perceba nada do assunto fica a pensar que, quando pressionas no travão, ele deixa de regenerar. Na verdade, sabes tão bem quanto eu, o que acontece é que acrescentas simplesmente o travão mecânico à regeneração que já está no máximo!
Que vês de errado nisso?
A diferença para um Toyota é que já teria atingido o máximo de regeneração aos 30 kW (segundo afirmas) e que para isso já estarias a calcar o travão há mais tempo.
Nota: salvo erro a Tesla consegue atingir os 80 kW a regenerar.
 
Não sei se estou a perceber bem: os Tesla (pelo menos o meu 3Pod) estão SEMPRE a aplicar travagem regenerativa, desde que não estejam a acelerar.
A única coisa que se regula é a intensidade dessa regeneração (suave ou normal, salvo erro).
Já não me recordo bem qual era a intensidade da regeneração do i3, que durante muito tempo foi tido como referência nessa área, mas sei que o M3 excede todos os modos B e afins de todos os outros carros que já conduzi e creio mesmo que a do i3.
Percebo o que o @João Prates diz, mas para tirarmos a limpo se a falta de "previsão" no sistema da Tesla de aplicar força de regeneração extra quando se carrega no pedal do travão deve ou não ser considerada uma falha, teríamos de saber qual o limite máximo da regeneração que os outros concorrentes usam nos seus carros até os travões de fricção entrarem em funcionamento.
E desconfio que não iríamos chegar a valores muito diferentes, dado que a regeneração no Tesla é mesmo forte.
 
O sistema é tão mau que tenho no Big Foot 1 793 kWh regenerados em 11 956 kWh consumidos (15%), e isto a andar maioritariamente em autoestrada. Gostava de comparar com um Toyota em ambientes equivalentes, mas não posso.
E tenho sensação de que trava mesmo até aos 0km/h, ao contrário do Prius, por exemplo, que terminava a travagem sempre em "mecânico".
Confirmam, @Luis Neves e @Alexandre Jesus?
Por coincidência, ontem, ao encher os pneus, reparei que os discos e as jantes estão como novos, nem sequer se notava o pó dos calços, o que me deixou mesmo espantado, pois esperava pelo menos que os discos já tivessem riscos e que houvesse algum pó por ali.
 
Top Inferior