Atenção à fraude, isto já anda por todo o lado mas é claramente um embuste técnico

Telmo Salgado

Moderator

Os ganhos são absolutamente mínimos e carecem de muita análise científica, porque isto de testar ligado-desligado o aparelho em termos de emissões depende de imensas variáveis para dar resultados conducentes a uma efetiva redução comprovada.

Faço a seguinte questão: se valesse a pena os construtores que tão preocupados estão em reduzir emissões não teriam já aplicado nos seus veículos em fase de projeto?
Recordemos o escândalo vw, e como incorreu em milhares de milhões de prejuízo, só por este facto de não dotar os veículos de mecanismos ADEQUADOS à redução de emissões. A sua correção nunca foi completa, só com os modelos novos os conseguiram!

Olhem outro: https://poligrafo.sapo.pt/fact-check/estudante-foi-expulso-da-universidade-de-lisboa-porque-inventou-dispositivo-que-reduz-consumo-de-combustivel-dos-automoveis


Em resumo: EVITEM, passem palavra, descredibilizem estes técnicos e profissionais do gamanço "legal".
 

João Prates

Archie Bunker
Metem o nome dos institutos que certificam que os equipamentos podem ser usados para dar credibilidade, quando os ditos certificados não atestam rigorosamente nada dos resultados.

Escândalo mesmo é a CML aprovar isto para deixar continuar a circular verdadeiras carroças a carvão pelo meio da cidade, foi a solução encontrada para satisfazer os taxistas.

Faz lembrar os míticos aviões perdigueiros da ELF que cheiravam as jazigas subterrâneas de petróleo... mete-se uns nomes sonantes e uns institutos pelo meio e toda a gente acredita...

A iliteracia técnica é tramada, e estes esquemas vão existir sempre, com mais ou menos suporte.
 

Nuno Cardoso

Active member
Eu apaguei o meu post original porque li hidrogénio mas depois fui ler a outra noticia sobre o OBD2 Fuel Saver e confundi-me, pensei que era só sobre o OBD2... Na altura, critiquei fortemente o Ultimate Fuel Cell junto dos meus amigos porque para mim não fazia qualquer sentido.

Para mim grave continua a ser o facto de ainda ser comercializado e publicitado abertamente em sites de oficinas da FEUVERT e ser aprovado a sua instalação.
 

João Prates

Archie Bunker

Nuno Cardoso

Active member
E a diferença de 2/3% de diferença no consumo que anunciam pode dever-ser a tantas variáveis. O teste não foi minimamente controlado quase de certeza. Um só ensaio não é significativo para este tipo de testes.

A aprovação apenas diz que não coloca em risco as pessoas nem altera as características técnicas do veículo, nada mais.
Se não altera as características do carro mais uma prova em como o dispositivo pouco ou nada faz! ;)
 

Telmo Salgado

Moderator

Como fazer crescer uma empresa com base numa mentira, é um caso de estudo...para um real player nos eletrolisadores.
Agora, já e no imediato, interessaria em abono da verdade e para evitar acusações de fraude, que TERMINASSEM a produção destes equipamentos inúteis e que se dedicassem a um negócio mais honesto e com criação de valor.
 

Telmo Salgado

Moderator
Ontem no jornal da tarde da SIC (pelas 13h40?) novamente mostram a empresa no seu trabalho de internacionalização de postos de H2.
Mérito de quem faz e de quem publicita. E sob o tema de Hidrogénio Verde, ok, até se aceita.

Mas na parte final, novamente a referência ao aparelhómetro individual para instalar nos motores, que CLARAMENTE nada tem a ver com hidrogénio verde.
Configura uma espécie de publicidade, até falam no preço, o que nada tem de aceitável nem ético.
Renovo os meus maiores receios de EMBUSTE. E faço a pergunta mais pertinente de todas: se fosse uma solução técnica válida, o que andaram a fazer as dezenas de milhares de engenheiros dedicados à combustão e consequentes emissões durante as várias décadas em que este tema foi aprofundado?
 
Última edição:
Top Inferior