Artigo de opinião sobre a evolução das vendas na Noruega

Telmo Salgado

Moderator
Staff



A percentagem de EV é bastante elevada, mas nos últimos dois meses, seja por incentivos ou por questões comportamentais ou maturidade, os PHEV estão a crescer: ocupam 22% do mercado, crescendo 18% do período homólogo do ano anterior. Os BEV uns muito brilhantes 37%, mas descendo 27%.



Market share of new EV car sales in Norway has reached an all-time high of 59%. Now, imagine if PHEVs with 80 miles of battery range were available. Imagine if affordable (under $30,000 USD) RExEVs, with 400-plus miles of total range, were available. What might the EV market share be?

Right now neither of these two options exist. In spite of the lack of these optimal options, we see a fulfillment of my analysis. We see people buying the next closest match, PHEVs with extremely limited range. I believe if manufacturers were willing and able to offer RExEVs, the EV sales market share would quickly rise to 100% within just a few years.


Deixo aos vossos comentários...
 
Mas será que de facto usufruem dos mesmos como sendo plug-in ou apenas porque são mais baratos e não com consciência ambiental?
Agora não encontro o artigo, mas não foi da Noruega com o Oytlander Phev que se verificou esta situação?
 
Mas será que de facto usufruem dos mesmos como sendo plug-in ou apenas porque são mais baratos e não com consciência ambiental?
Agora não encontro o artigo, mas não foi da Noruega com o Oytlander Phev que se verificou esta situação?
Muito se fala de PHEV como trambolhos...
Parece (é) um Lobby?
Na Noruega, tal como na Suécia e Finlândia é muito usual "todos" ou "quase todos" terem uma tomada eléctrica disponível na garagem ou no lugar de parqueamento... porque desde há várias décadas há o costume de fazer uso de um dispositivo (lá) bastante comum nos veículos com motor de combustão; o block heater.
... se não conhecem, não fazem ideia do que é, para que serve, podem recorrer às internetes para ficarem a conhecer.
Há muitas pessoas que fazem excelente uso das características dos PHEV, de forma a maximizarem a capacidade de se deslocarem em modo elétrico a maior parte do tempo... ainda ontem, aqui em Portugal, numa visita a um industrial: fio "borda fora" pela janela do escritório para alimentar um... Range Rover PHEV!
Concerteza, muito mais sensato ter adquirido um SUV PHEV do que um Tesla Model X, pois está bem claro que não possui infraestrutura decente para carregar... deve ter a maior parte do tempo 10 ou 12A disponíveis, a enorme fatura de eletricidade é para o parque de máquinas da empresa, as tais que trazem o dinheiro "borda dentro" pelas portas e janelas.

E não é caso unico que conheça, muito BMW, Mercedes-Benz, Porsche, Volvo vejo eu a ser carregado em instalações de empresas.
É certo que desconheço como são habitualmente carregadas as frotas VE da Meigal, Panike, Lacovale e muitas outras mais, mas essas devem recorrer com alguma frequência a cargas de CC na rede Mobi.E.... quando esta funciona....
 

João Prates

Moderator
Staff
Muito se fala de PHEV como trambolhos...
Podes dar um exemplo por favor?
Pelo menos aqui na Ecomove nunca vi ninguém se referir a um carro como sendo um "trambolho", nem sequer na brincadeira, por ser um PHV.

Chamamos "trambolhos", "mastodontes", e outros nomes "carinhosos" a muitos carros mas por motivos que nada têm a ver com a tecnologia de electrificação que possuem...
Pelo menos é esta a ideia que tinha, mas já que dizes que não, que é comum aqui, que é um lobby... podes por favor demonstrar o teu ponto de vista com alguns exemplos?
 
Podes dar um exemplo por favor?
Pelo menos aqui na Ecomove nunca vi ninguém se referir a um carro como sendo um "trambolho", nem sequer na brincadeira, por ser um PHV.

Chamamos "trambolhos", "mastodontes", e outros nomes "carinhosos" a muitos carros mas por motivos que nada têm a ver com a tecnologia de electrificação que possuem...
Pelo menos é esta a ideia que tinha, mas já que dizes que não, que é comum aqui, que é um lobby... podes por favor demonstrar o teu ponto de vista com alguns exemplos?
Quando mencionei "trambolho" estava a referir-me à muito em voga generalização de que muitos PHEV não estarem a ser usufruídos como plug-in, sem consciência ambiental e por serem mais baratos ( não sei que comparação é esta...).
Tenho conhecimento que na Holanda, foi feita uma verificação dos gastos declarados com a compra de combustível e as distâncias percorridas, e pelos vistos alguns veículos PHEV não estavam a fazer, ou não faziam grande uso das capacidades de carregamento elétrico das suas baterias.

Já vi montes de vezes este exemplo ser mencionado para "deitar abaixo" a validade dos PHEV (não no espaço Ecomove), e agora neste tópico refere-se que na Noruega os Outlander PHEV, aparentemente não eram usados lá muito em modo elétrico....
Daí eu referir o Lobby, para mim há muita gente interessada em passar a ideia de os PHEV não prestam, o que é bom é VE com autonomias de 400, 500 ou mais quilómetros.

Eu acho que, como tudo na vida, a adequação das coisas depende... de muita coisa!
 

João Prates

Moderator
Staff
não no espaço Ecomove
Era só isto que queria perceber, obrigado.
E por favor não cites posts inteiros em resposta directa e consecutiva aos mesmos, não faz qualquer sentido aparecer na mesma página o mesmo texto 2 vezes seguida.
 
Em resposta ao post inicial - partilho completamente a visão desse autor . No fundo ele defende que a indústria deveria evoluir no sentido de veículos eléctricos, com baterias pequenas / moderadas e extensores de autonomia para servir as viagens maiores. Isto num contexto de transição, de racionalização de recursos ( materias exóticos das baterias) e aproveitamento da rede de combustíveis. E claro - o ainda elevado custo do kw, à tecnologia actual.
Não tinha dado grande atenção à evolução da venda de PHEV, mas agora que penso nisso, acredito que tal se deva ao facto do mercado Norueguês ser mais maduro, e já pensa parecido com o autor. Ora na falta de veículos eléctricos com REX, o que mais se aproxima? Os PHEV.
Não deixa de ser curioso o meu caso pessoal - após um ano com um BEV como carro principal da família, e à falta de BEV com Rex que me satisfaça, estou prestes a comprar o mais parecido possível - um PHEV; ou melhor, um não - "O" PHEV - O Prius !
A mobilidade eléctrica é fantástica, mas a nossa rede desgasta. Viagens e viagens, em que não há um carregamento sem "acontecimentos" . Desgasta. Nesta fase, para quem viaja com um BEV não Tesla, desgasta.
 

João Prates

Moderator
Staff
Ora eu não posso concordar mais com este último post do @Leopoldo cardoso.
Em passeio tolera-se algo mais que o normal, a predisposição é outra, naturalmente.
Mas em deslocações de serviço correr o risco bastante provável de ficar mal num PCR e não poder abastecer a tempo e horas é inconcebível.
 

Carlos Costa

Active member
Na hora de escolher um BEV há que ter em consideração que, infelizmente, a nossa rede de carregamento não é a norueguesa, nem nada que se pareça. Só no aeroporto de Oslo são já mais de 1000 os pontos de carga, sem falar no resto da rede espalhada pelo país. Por cá existem duas opções: carregar na garagem de casa, e fazer uma vida normal com a autonomia disponível, ou sofrer. Sofrer com a rede miserável que temos, sofrer com a falta de civismo e educação de muitas bestas que bloqueiam o acesso aos postos de carga (donos de BEV incluídos), sofrer com uma dúzia de PCR's anedóticos nas AE deste país (se estiverem todos ON), enfim... um enorme desgaste.
 

Carlos Costa

Active member
Um PHEV faz ainda mais sentido na Noruega, na medida em que é mais versátil que um EV, pois conta com duas fontes de energia. Num país com as condições climatéricas como a Noruega, especialmente no inverno, um PHEV pode ser uma escolha muito racional, pois dá outras soluções ao condutor para enfrentar a imprevisibilidade do clima mais rigoroso (estradas fechadas, desvios, etc..).
 

William Esteves

Active member
Não deixa de ser curioso o meu caso pessoal - após um ano com um BEV como carro principal da família, e à falta de BEV com Rex que me satisfaça, estou prestes a comprar o mais parecido possível - um PHEV; ou melhor, um não - "O" PHEV - O Prius !
A mobilidade eléctrica é fantástica, mas a nossa rede desgasta. Viagens e viagens, em que não há um carregamento sem "acontecimentos" . Desgasta. Nesta fase, para quem viaja com um BEV não Tesla, desgasta.
Perdoe a minha curiosidade, qual o seu EV? Qual seria as especificações "mínimas" que considerava ser worry free?
Pergunto por estar a tentar prolongar o meu atual carro para saltar diretamente para BEV, e concordo consigo, o Prius PHEV é claramente o PHEV no que diz respeito a economia!
 
William, aqui somos uma família - podes tratar- me por tu ;)

Eu tenho um Ioniq 28kwh, e como BeV, o carro roça a perfeição- super eficiente.

As condições necessárias para mim são ser um veículo eléctrico , sem concessões. Às condições actuais, apenas a Tesla permite que um EV seja o carro principal de uma família, sem concessões. A questão acaba por não ser o veículo, mas as condições existentes - a rede de carregamento, por exemplo.
Por outro lado, tenho consciência que não há baterias de 100kwh ( nem dinheiro para as pagar) para todos os cidadãos que queiram abraçar a mobilidade eléctrica sem concessões.

Neste contexto, os EVs com REX , seriam , na minha opinião, os veículos perfeitos e acessíveis para assegurar uma mais rápida e sustentada transição.

O mercado não me oferece nenhum veículo com as características que descrevi, e que me satisfaça, então vou para o mais parecido - um PHEV.

E é uma pena que um carro como o Ioniq, passe a segundo carro, e não primeiro - tinha tudo para noutras condições, servir para tudo.
 
Carlos, dá e sobra. Raramente carrego o carro mais que 6 horas, à noite, numa ficha comum.
Em termos de custos operacionais então - é apenas o carro mais barato da Europa.
O grande problema são as viagens para fora da sua autonomia e a rede sofrível que temos.

O ano passado fui a um Congresso ao Porto. Planeei calmamente a viagem e sai com bastante antecedência. Ao carregar no PCR de Leiria, em vez dos 30m de carregamento habitual, o carro demorou 45m . Há um problema identificado entre o Ioniq e esse carregador, descobri mais tarde. Por sorte, não ia fazer nenhuma apresentação, mas este imponderável custou-me a manhã do congresso.

Este verão, entre Julho e Agosto fui 7 xs ao Algarve. Dos 14 carregamentos que fiz, apenas um foi "sem espinhas"; em todos os outros 13, houve ocorrências. Chegámos ao cúmulo de ter em pleno verão, um dos dois carregadores rápidos fulcrais ...avariado... 2 semanas!! ( Aljustrel).
A gota de água para mim, foi o dia em que deixo o carro a carregar, e passados uns minutos recebo uma mensagem a informar o fim do meu carregamento. Quando volto ao posto, encontro o meu carro ainda com a ficha CCS ligada, e um Leaf a carregar em Chademo... A partir desse dia, o que para mim era uma paragem agradável, passou a ser um stress de policiamento...

Brevemente vou a Andorra. Levo o meu Ioniq super confortável de 40k €, e tenho que fazer trechos de AE a 70km/h, e lidar com o desconhecido/ hipótese de ficar apeado no estrangeiro com a família no carro, ou levo o segundo carro da família? Um carro citadino e muito inferior em conforto?

Ok, podem dizer que é um drama de primeiro mundo, mas custa-me encaixar isto.

Para mim, um carro é comodidade. E comodidade não deverá ter concessões, pelo menos destas, pelo menos para mim.
 
Última edição:

Carlos Costa

Active member
Uma coisa é fazer Lisboa - Porto 1 X por ano, outra completamente diferente é o cenário que descreves. Assim fica difícil para um BEV como o Ioniq, pois não há pachorra para a nossa rede de carregamento.

Sendo assim, um Prius PHEV é uma excelente opção.
 

Telmo Salgado

Moderator
Staff
Quando mencionei "trambolho" estava a referir-me à muito em voga generalização de que muitos PHEV não estarem a ser usufruídos como plug-in, sem consciência ambiental e por serem mais baratos ( não sei que comparação é esta...).
Tenho conhecimento que na Holanda, foi feita uma verificação dos gastos declarados com a compra de combustível e as distâncias percorridas, e pelos vistos alguns veículos PHEV não estavam a fazer, ou não faziam grande uso das capacidades de carregamento elétrico das suas baterias.
(...)

Voilá, o requisito de carregar é essencial para muitos dos PHEV. Nada novo para nós, que sabemos que alguns desses veículos possuem um MCI anacrónico em termos de eficiência, e a aerodinâmica melhorável.
O peso é uma questão importante também, mas nalguns artigos, como este, atribui-se em demasia um fator penalizante.
 

Telmo Salgado

Moderator
Staff
Entretanto nos EUA, a Hyundai revê o seu plano para passar os seus PHEV para os SUV.
O Sonata PHEV vai ser descontinuado, e fizeram melhorias no Sonata HV:

“Due to the sales growth of SUVs, Hyundai will offer more electrified SUVs including plug-in hybrids in the future,” explained company spokesman Miles Johnson to Green Car Reports. Hyundai further pointed out that the 2020 Sonata Hybrid delivers an increase in fuel economy of up to 24 percent over the outgoing generation.
 
Top Inferior